Namoro e hora de sair

São sinais de que pode tá na hora de terminar com ele, então segura nessa cadeirinha aí e vamo lá encarar. Ele sempre repete os mesmos erros Se o gato tá sempre cometendo aqueles erros UÓ que você já cansou de pedir pra ele não repetir, é hora de parar pra pensar nesse namoro. Quando se sentir pronta para voltar à ativa e experimentar novos relacionamentos, é hora de sair de casa, conhecer pessoas e lugares novos. O ideal é frequentar um lugar que reflita seus interesses. Pode ser um bar, uma livraria, cinema ou até mesmo a academia. Assim, as chances de encontrar alguém que tenha gostos parecidos são maiores. Não aguentavamos ficar distantes nem como amigos, marcamos de sair, lanchar juntos. Eu pedi ela em namoro do nada, eu nem tava pensando nisso. Eu gostava dela, óbvio. Mas não achei q a pediria em namoro naquela situação. Eu só olhei nos olhos dela, ela não desviou o olhar, em vez disso sorriu e eu a pedi em namoro ali. 2. Rotina cômoda. Talvez seja hora de acabar o relacionamento de vocês se a rotina está cômoda, mas não faz mais o casal feliz. Antes, vocês adoravam chegar em casa depois de um longo dia de trabalho, porque iam curtir a noite juntos, mesmo que isso significasse ter que arrumar a casa, fazer o jantar e assistir um filme. Tão importante quanto saber o momento certo para começar um namoro ou subir ao altar, ter consciência de quando chegou a hora de terminar um relacionamento é uma das grandes questões da vida ... Talvez esteja na hora de simplesmente desencanar! ... 10 sinais de que está na hora de você deletar seus apps de namoro. ... (e muito) o dia a dia de milhões de pessoas, seja para fazer compras ... Only Lads - namoro gay grátis e rede social de bate-papo gay. Namoro e solteiros gay em. Serviços de namoro gay. Melhores sites de namoro gay para relacionamentos sérios 2019. Serviços de namoro gay miami beach fl. Gaydar é um dos principais sites de namoro para homens gays e bissexuais. Milhões de homens como você, procurando amizades ... Quando essa relação gera insegurança e mal-estar, é hora de terminar, cortar o namoro. Sair de um relacionamento nocivo não é nada fácil, mas tampouco é impossível, como alguns chegam a pensar, sobretudo aqueles que já não se valorizam, que pensam ter a culpa pelo fato de o relacionamento não ter dado certo, ou têm medo de ficar ... Dias, meses, anos de namoro, todo mundo perguntando quando será o casamento. E quando de fato vai chegando a hora, as pergunta mais frequente é: como posso saber com certeza que essa é a pessoa escolhida? Bem, se você quiser evitar as grandes dores de cabeça e arrependimentos, é preciso ter sempre em mente 5 coisinhas… O Aplicativo de Namoro mDates torna possível passear por inúmeros perfis de nossos membros, para conversar e conhecer um ao outro e sair em encontros. No mDates, você encontrará mulheres e homens maduros de qualquer idade, que são uma combinação perfeita para você. Talvez o amor verdadeiro conquistará seu coração aqui também logo.

Pais tóxicos e como destroem a vida de seus filhos

2020.09.23 14:03 agupheus Pais tóxicos e como destroem a vida de seus filhos

Olá meus amigos, escrever me conforta e preciso colocar esse texto em um lugar que outras pessoas leiam, no diário não iria me conformar.
Desde do começo desse ano, muito antes da pandemia eu me isolei, terminei namoro e cortei contato com todas as pessoas que estavam em minha vida. Posso dizer que não tenho ninguém pra conversar. Possuo uma rotina muito sólida e produtiva, a qual vem me ajudando muito em minha emocionante e fascinante jornada nessa existência caótica e confusa. Eu tenho 20 anos, e infelizmente ainda moro com meus pais, e meu irmão; ele tem 25 anos, e também sofreu e sofre muito na mão dos nossos pais.
Desde muito cedo, sempre acordávamos nos tapas, nos gritos - sofriámos humilhações dia após dia - antes do café da manhã - as brigas eram a sobremesa.
E nada mudou desde então, minha mãe briga por qualquer coisa, os gritos dela certamente dá pra ouvir à quilômetros de distância - a voz dela me corroe por dentro...
Eu e meu irmão estamos na faculdade, porém, infelizmente desempregados - e isso é um ponto crucial diante das humilhações que nosso pai impõe a nós todos os dias, somos bombardeados com todas as energias deles em destruir nossa autoestima, nossos planos...
Viver nessa casa é um inferno - certamente o inferno passa longe de tal ambiente - é muito difícil segurar as pontas e manter-se firme pra não cair numa depressão profunda convivendo com meus pais.
Agradeço muito o apoio financeiro deles, mesmo eles passando na cara e nós humilhando. Mas em relação ao apoio emocional? Isso nem se fala, eles não são nem de longe pessoas a qual eu possa tomar como referência. É muito triste ver tanta ignorância, ódio, rancor, arrogância... há tantos adjetivos pra nomear às ações deles.
Eu venho estudando pra concurso, e procurando um emprego, não aguento mais viver nessa casa... não aguento mais todos os dias escutar as merdas que eles falam...
Eu sempre falo pra eles que eles não deveriam ter tido filhos, que eles não souberam criar a gente; que eles fizeram muito mal pra nós dois.
ELES NUNCA ESTÃO DE BOM HUMOR. Eles brigam por qualquer coisa, há discussão todos os dias, todas as horas aqui dentro dessa casa; é um absurdo, é triste, é desprezível...
O engraçado é que eles criaram a gente pra ser dependente deles; quando surge a oportunidade de sairmos, morarmos fora, eles fazem de tudo pra que der errado; já tive muitas chances de sair de casa, mas eles sempre conseguiam impedir... é incrivelmente aterrorizante a capacidade que meus pais tem de destruir meus planos.
Eu tento levar tudo com bom humor, ser otimista e continuar me esforçando.
Sair dessa casa está sendo o objetivo número um, dentre meus planos.
Eu sinto uma tristeza muito grande só de imaginar chegar na idade do meu irmão morando com meus pais. ACREDITO MUITO que isso não irá acontecer; sei que vou conseguir sair dessas garras, vou superar toda essa merda.
E quando eu sair, vou sumir da vista deles, vou embora de vez, pra nunca mais... irei, como mágica, desaparecer... como se eu nunca tivesse existido pra eles...
Pensar nessa possibilidade me deixa feliz, sumir, ir pra bem longe... de forma que eles não passam nunca mais me ver...
Grato pela atenção;
Desejo um grande dia a todos!
¯\_(ツ)_/¯
submitted by agupheus to desabafos [link] [comments]


2020.09.14 11:38 LupusParsec Eu falei o que não devia e não consigo me perdoar

!!! ALERTA DE CONTEÚDO SENSÍVEL E PARCIALMENTE PESADO !!!
Bom, eu queria falar sobre muitas outras coisas que envolvem a situação desse meu post, tais como a minha depressão, minha síndrome de azperger, minha ansiedade, meu jeito de ser, falar, pensar etc. Mas isso faria muita firula e esse post teria um tamanho bíblico, então tentarei ser breve e direto, mas tenham em mente que essas minhas características acima.
Bom, eu tenho 21 anos e passo por uma situação bem complicada atualmente (como vocês podem imaginar). Mas eu agora gostaria apenas que vocês me dissessem: o quê eu posso fazer para me perdoar? "Perdoar do quê", vcs se perguntam? Bem, disso aqui:
Resumindo, eu entrei num assunto delicado com um amigo que fiz recentemente, mas ele se revoltou (porque era um assunto polêmico e muito delicado) e provavelmente ele me entendeu errado e agora tenho medo de perdê-lo, já que ele foi bem acolhedor comigo e praticamente não tenho mais ninguém e estou sem esperanças. Eu fui muito ingênuo e inocente achando que eu poderia sair falando de um assunto assim com qualquer um que iria ser de boas. Eu não levo jeito pra socializar e vendo como o mundo está hoje, eu pretendo nunca mais expor minhas opiniões para os outros. Quero apenas absorver, raciocinar e tirar minhas próprias conclusões. Sim, isso praticamente acabou de acontecer (há mais ou menos umas duas horas). Eu já tentei me desculpar, mas não sei se ele vai ver as mensagens.
Agora, por favor, me ajudem a tentar superar isso. Me digam algo que eu possa fazer ou pensar pra parar de me sentir assim tão mal.
OBS.(pra já ajudar vocês a montarem os seus comentários): não, não tenho religião, sou agnóstico; não tenho mais ninguém pra desabafar (nem minha família serve (essa história é complicada)); nada mais do que eu gosto de fazer me conforta mais; sim, eu tomo remédios e estou me tratando; sim, meu estado de depressão é bem avançado (e sim, já tentei cometer su***dio uma vez e ultimamente, essa vontade tem voltado, então tenha em mente que REALMENTE, minha situação é deveras complexa e imagina só o tanto de coisa que se passa na minha cabeça); não, não namoro, não quero e não pretendo; não, eu não tenho algo de novo que pretendo experimentar; meu cérebro de 138 de QI é extremamente hiperativo e está sempre raciocinando ou pensando sobre algo, mesmo que eu não queira (normalmente é sobre temas como: matemática, física, química, biologia, geografia, astronomia, filosofia e semelhantes); me sinto mais uma máquina do que um humano e não consigo me sentir amado; não sou capaz de compreender várias coisas na sociedade como um todo. [Já que isso não era nem 0,0000... ...00001% do que eu quero falar, lembrem e pesquisem as minhas características que mencionei no começo, obrigado].
...no fim das contas, eu não fui muito breve...
submitted by LupusParsec to desabafos [link] [comments]


2020.09.11 03:47 Otakiinha O cara q eu julgo como nice guy

Olá turma, e to com um pouco de preguiça de escrever o resto (desculpa por isso).
Bom vou resumir a história pra n gastar mt o tempo de vcs.
Uns meses atrás um garoto estranho,vou chamar de L¹, me chamou no insta falando q eu era uma delícia e pedindo pra ficar comigo, eu disse q não pq namorava e nem conhecia ele. Ele me chamou de vagabunda e de "Garota fodida". Passou o tempo e hj ele pediu pra seguir meu namorado no Instagram, pediu tanto q ele aceitou, já chegou chamando meu namorado de corno. Detalhe: Quando aconteceu eu ainda não namorava, só falei isso pq geralmente os caras saem mais rápido. Fiz um mês de namoro no último dia 30.
Eu não contei essa história pro meu namorado, já que eu nem tava com ele na época q aconteceu, só contei pra duas amigas. Quando esse garoto, L¹, chamou meu namorado de corno eu fui atrás de uma das amigas q sabiam da história, vou chamar de Lá, ela disse pra ficar calma e eu fui atualizando ela e a um sobrinho meu, os dois me ajudam muito.
Meu namorado parou de me responder assim q contei pra ele oq tinha acontecido antes mesmo de a gente namorar. Fiquei desesperada e com medo. Fui dar boa noite pq ia dormir, tenho horário pra isso aq em casa. Ele só respondeu com "Não precisa me chamar amanhã e não precisa falar do nosso namoro com sua mãe", comecei a chorar na hora q li. O L¹ mandou print de uma parte de quando ele pediu pra ficar cmg, só q fora de contexto, e meu namorado acreditou q eu fiquei com ele.
L¹ me mandou mensagem um tempo depois falando q se eu não fico com ele não fico com mais ninguém, mandei crescer e deixar de ser criança.
Minha asma atacou, comecei a tremer, e tive q sair do whatsapp e do Instagram.
Sobre meu namorado? Enfim, terminamos. L¹ conseguiu oq queria...
Enfim turma, Luba, editores e gatas... Essa foi minha história de nice guy. Uma merda pra mim, mas pelo menos pode virar conteúdo pro nosso querido Luquinhas TV. <3
submitted by Otakiinha to TurmaFeira [link] [comments]


2020.09.08 10:27 SnooDonkeys6386 Não sei o que fazer no relacionamento

Bom, namoro a quase um ano e resolvemos terminar pra cada um se cuidar sozinho, estávamos brigando muito, eu por causa do meu ciúme e ansiedade. Vim pra minha casa e não tinha me caído a ficha ainda, mas combinamos de ngm ficar com ngm e cada um cuidar de si pra voltar a ter um relacionamento mais saudável, até que tudo se resolva, e já cheguei fazendo errado, ligando chorando sofrendo demais, impossível não sofrer com isso pois temos chance de não voltar mais. Eu comecei chamando ele toda hora, e ele respondendo tranquilo, ele me liga e a gente conversa e tal, fala que tá com saudades.. aí hj ele me perguntou se eu ficaria brava se ele saísse com uma menina, pois se a gente combinou que não sairíamos com ngm não tem pq ele fazer isso, aí já penso que ele não me aguenta mais pois sou muito insegura (tanto que terminamos mas já com esperança de voltar pois a gente se ama demais. E meudeus como eu sinto falta dele, é difícil não poder falar te amo toda hora e não saber o que ele tá fazendo, fico muito noiada com essa situação toda, pensando besteira, por mais que ele me ajude e esteja do meu lado, me senti muito magoada por ele querer sair com alguém, e depois já fiquei brava e discutimos.. :/ parece que faço tudo errado.
submitted by SnooDonkeys6386 to desabafos [link] [comments]


2020.09.07 04:46 CraftedBot Oi pessoal, preciso desabafar

Oi pessoal, sei que o grupo não é muito ativo e que ninguém aqui deve se importar comigo. Mas aconteceu algo muito pesado comigo essa semana e esse grupo é o único lugar em que eu sinto que posso desabafar e ser ouvido sem que me julguem. Eu e minha namorada namoramos há quase dois anos e em todo esse tempo quando ficamos juntos é na minha casa ou em qualquer outro lugar, exceto a casa dela. O pai dela me despreza. A primeira vez que nos conhecemos ele foi legal e simpático, até que perguntou o que eu fazia da vida. Estudo ciências sociais na USP, quando eu disse isso ele fechou a cara na hora e mudou de assunto. A família deles é bem humilde, o pai dela tem um barzinho/restaurante onde toda a família trabalha, exceto minha namorada, que é a filha mais nova e foi a “escolhida” pra ser “alguém na vida”, então o pai dela é bastante protetor. Depois da revelação de minha carreira acadêmica a janta mudou, a conversa continuou em outros assuntos, mas eu fui completamente excluído dela, a única pessoa que tentava me trazer pro assunto era minha namorada, mas a mãe o pai e os irmãos dela me ignoravam completamente. Quando cheguei em casa ela me mandou uma mensagem dizendo que o pai dela tinha mandado ela terminar comigo, falando que eu era vagabundo, não prestava e ia só atrapalhar na vida dela. Ela cursa direito e pra família dela eu sou um peso que ela vai ter que sustentar. Isso foi no primeiro mês de namoro, eu estava completamente apaixonado por ela (e ainda estou) e disposto a enfrentar qualquer adversidade para que o nosso namoro seguisse. O único dia que o restaurante deles não abre é domingo, então fui lá logo na outra semana pra resolver qualquer desentendido. Quando cheguei a família toda estava vendo Faustão, inclusive as namoradas dos irmãos e ninguém quis conversa comigo, sequer levantaram do sofá para me cumprimentar. Não quis atrapalhar o programa então eu e minha namorada fomos para o quarto esperar uma situação mais propícia para o diálogo. Mal havíamos fechado a porta e vem o pai dela batendo com tudo na porta e escancarando ela (ele não é alto, mas é daqueles carecas gordinhos com cara de brabo que quando vestem regata, bermuda e havaianas ficam parecem um botijão gigante.) ele começa a gritar que não queria porta fechada nem vadiagem na casa dele e deu um discurso cheio de indiretas me chamando de vagabundo e praticamente me expulsando da casa deles. Não fui embora. Ficamos estudando e de quando em quando o pai ou um dos irmãos ia ver o que estávamos fazendo. Diversas situações similares foram acontecendo até que decidimos que era melhor desistir e evitar a família dela. Fomos assim por mais de um ano. Nesse tempo eu fui estudando mais sobre o agronegócio e a indústria da carne e decidi virar vegetariano em junho do ano passado. Conversamos bastante sobre isso e ela sempre foi muito interessada, até que semana retrasada ela decidiu virar vegetariana também. Ela, é claro, não contou pra família dela porque medo de que iriam surtar, mas convenci ela que se abrir pra eles seria a melhor coisa, que eles iriam entender e que eu poderia ir com ela. Esse foi meu erro. Ela achou legal de fazer a revelação no restaurante da família, servindo um prato vegetariano pra mostrar que é fácil e possível. Como eu já disse, o restaurante é bem simples, o buffet é basicamente arroz, feijão, batata frita, bife e umas saladinhas (por saladinhas entenda alface, tomate e de quando em quando salada de batata). Quando saímos da faculdade fiz questão de pedir um Uber pra gente chegar no restaurante mais rápido enquanto o pai dela não tá no horário de descanso (ele dorme numa rede nos fundos do bar). Chegamos lá perto da uma da tarde. Era quarta feira e o lugar estava bastante movimentado. O irmão dela, que fica no caixa, deu um sorriso quando entramos, mas desfez logo que viu que a irmã trouxe o namorado. Minha namorada vai pro caixa falar com o irmão dela e diz pra eu já ir me servindo e procurar um lugar. Eu to bastante nervoso e me arrependendo desde que vi a cara que o irmão fez ao me ver, mas me sirvo mesmo assim. Já estou com o prato servido e vou até ela, agora atrás do caixa falando com o pai e com a mãe, paro, os pais dela me olham, meu sogro com a cara fechada sequer acena com a cabeça pra mim. Minha namorada faz um sinal com a mão me chamando. Vou até ela, ficando desconfortavelmente próximo do pai dela. Ela pega a minha mão, eu fico segurando o prato com uma só e diz: “Eu decidi virar vegetariana”. Ela sequer havia terminado a frase, bastou o pai dela ouvir “virar vegetariana” que ele virou a cabeça com uma velocidade descomunal em minha direção, mas ele não olhou pra mim, como eu pensei que faria, estava olhando pro meu prato. Arroz, feijão, alface, batata frita e nada de carne. Eu olho pro prato também percebendo agora meu erro e quando ergo a vista ele me encara com aqueles olhos furiosos. Não fui capaz de absorver inteiramente o quanto de ódio existiam naqueles olhos, porque ele deu um tapa no meu prato de baixo pra cima, sujando minha camiseta azul celeste do Carl Sagan de feijão e interrompendo qualquer raciocínio que corria pela minha mente. O prato estraçalhou no chão e antes que o quebrar do vidro pudesse irromper pelo restaurante e o burburinho dos clientes fizesse perceber-se silenciado meu sogro já estava gritando. “TU FEZ ISSO COM ELA!” “ESTRAGOU MINHA FILHA!” ele me dá um empurrão contra o balcão, minha namorada recua assustada, eu tento sair pelo lado, mas ele bloqueia o caminho, minha namorada chorando tenta segurar ele, mas minha sogra a segura mais forte. “VAI JOGAR NO LIXO O ESFORÇO DA MINHA VIDA TODA! SEU MARGINAL!” Eu tava bem passivo até que ele falou isso, ele não sabe quem eu sou, só tem preconceitos contra mim. Não sabe o quanto eu amo a filha dele e o quanto só quero o melhor pra ela. Eu já tinha tentado expressar isso no diálogo, agora ia ser na porrada, sem palavras, só sangue. Dou um empurrão com toda minha força e na fresta de tempo que abre eu pulo o balcão pra ter mais espaço para brigar, já enquanto pulava vejo uns tiozinhos numa mesa, sob ela uma litrão de Skol que eu penso em usar como arma. Pulo o balcão, pego a garrafa, enquanto isso ele veio dando a volta no balcão que nem um touro pra me pegar. Segurando a garrafa pela boca eu bato ela na mesa, o vidro se quebra e eu ergo a ponta estraçalhada e afiada diante de mim, pronto para defender minha honra e a de minha amada daquele botijão colossal. Com a garrafa diante de mim e a criatura se aproximando eu olho por um instante para o vidro amarelado que seguro em minhas mãos. Vejo, no reflexo, a entrada do restaurante atrás de mim, e passando rápido pela rua o que parecia ser uma aeronave pequena não tripulada, logo atrás uma espécie de exoesqueleto metálico armado com uma metralhadora, de repente, um estrondo ensurdecedor seguido de um clarão. Era o início da era das máquinas.
submitted by CraftedBot to copypastabr [link] [comments]


2020.09.06 08:25 Astronaut456 Estou Webnamorando....

Eu sempre fui um cara bem social, conversava bem com as pessoas e não tinha medo de conhecer e fazer novas amizades, mas a partir do 1°Ano Escolar eu acabei me sentindo mais entediado, algo que pretendo desabafar também outra hora. Mas como tava falando sempre fui muito social, mas partir de um tempo fiquei mais antissocial não entendo como fiquei assim do nada, mas parei de falar um pouco com meus amigos e fiquei mais na minha, e depois voltei a falar mais com eles, só que no começo da quarentena conheci uma garota partir de um post em um grupo de Animes e tal, e nos dois acabamos se dando muito bem, achávamos que a gente era da mesma cidade, mas no final eu sou do Sul e ela de SP e isso me deixou mal pq estava gostando dela e ela de mim, um dia pedi o whatsapp dela e conversamos muito até eu chamar de brincadeira ela de Webnamorada, e ela falou que nunca tinha pedido ela em namoro, então eu pedi....e ela aceitou e fiquei feliz, nós dois por chamada falando que a gente se ama e tal, ela terminou a escola e eu estou no último ano, pretendo ir até ela e assim a gente ficar junto, até fizemos planos pra morarmos juntos e não me importo até pq eu planejava antes ir pra SP depois de terminar a escola, não quero continuar morando com os meus pais e quero sair de casa bem cedo..., só que me sinto mal por não poder ter ela comigo e triste, e ela sente isso também eu acho, eu nunca tive um relacionamento assim, sempre falei pra ela que Webnamoro não era algo que eu achava legal e nem me imaginava fazendo TIPO NUNCA, eu acho até meio chato e triste por um ponto, mas eu amo ela e ela me ama, então tentamos fazer isso rolar, ela até planejava ir pra Pelotas pra tentar uma faculdade e eu falei que iria junto com ela pra não ficar sozinha e ela gostou da idéia, mas ainda me pego triste, pq eu odeio estar longe dela e acho péssimo as vezes ter a companhia dela só pela tela de um telefone ou PC....
submitted by Astronaut456 to desabafos [link] [comments]


2020.09.04 18:33 DanteStonecross Senta que la vem história

Eu to a algum tempo lendo e comentando coisas nesse /, e eu sempre quis dizer varias coisas aqui, porque de algum jeito eu me sinto confortável de ver essas coisas e todos vocês, mesmo discordando com algumas pessoas aqui e ali ta tudo bem, discordar é normal, faz a gente mais humano.
Mas eu queria muito contar uma história aqui hoje, é uma jornada importante pra mim, e eu espero que vocês gostem de me ver aprendendo uma coisa muito complicada. Nessa história, todos os nomes serão fictícios, e será um resumo muito resumido, então a grande maioria dos fatos não está aqui, mas o que isso tudo me ensinou, você vai poder ver com certeza.
Eu sempre fui um Romântico, e quando eu digo Romântico, eu falo da escola literária, eu não uso aquele português difícil, mas eu enxergo o mundo de uma maneira similar, eu vivo os momentos com as pessoas com intensidade, com muito sentimento, e os momentos seguintes a esses vem a melancolia.
A primeira vez que eu me apaixonei quando tinha 11 anos, o mundo se tornou diferente pra mim, era como se de repente todo o resto fosse preto e branco, e apenas aquela garota fosse colorida(eu tenho essa história contada em um texto, que é o ponto inicial da minha depressão, escrito exatamente como aquela criança enxergava o mundo, se ao final alguém se interessar eu mando sem problemas).
E, perto se fazer 14, em 2013, eu conheci uma garota muito mais do que bonita, ela era simplesmente divina aos meus olhos, ela era tão incrível, ela tinha absolutamente tudo que eu gostava. Eu conheci a Ágata dando aulas de matemática(o que mais um nerd faz?) e algo me chamou muita atenção: mesmo com 13 anos eu já tinha dado muitas aulas pra muitas pessoas e todo mundo tem um limite, todo mundo desiste(pede uma pausa) depois de X questões, mas ela não, mesmo sem entender muitas coisas ela persistia até o fim tentando entender tudo, até o horario dela ir embora ela continuou la, com o caderno e a caneta fazendo de tudo pra conseguir entender.
Bons meses depois Ágata se tornou minha melhor amiga(embora no início ela respondia minhas mensagens a cada 3 semanas, sem exagero!), e mais um tempo depois e muitos conflitos com a família dela, a gente começo a namorar.
Eu ainda não posso explicar o que era a sensação de namorar com ela, ela era literalmente o que todo garoto sempre sonhou: baixinha, cabelo cacheado, um rosto muito agradável, um sorriso lindíssimo, peitos e bunda enormes(ENORMES), cantava feito um anjo, era popular, divertida, extrovertida, dedicada, esforçada... É uma lista de qualidades que, na época, transbordava.
De 2014 até 2019, nós tivemos 3 anos de relacionamento e 5 anos de amizade, e eu aprendi muito mesmo em todos esses anos. O motivo do término do relacionamento(numa versão em resumo do resumo do resumo) foi, principalmente, possessão. Eu tenho um pai que é extremamente possessivo e eu levei 14 anos pra sair das garras deles(ou seja, ainda era recente quando eu conheci ela), e 1 ano depois do namoro ela começou a querer cada vez mais a minha atenção, onde eu não sentia mais liberdade pra fazer coisas que eu queria, porque eu tinha que ficar 3 horas falando no telefone com ela(e eu nem gosto de falar no telefone).
Não me entendam mal, eu não estou dizendo que fui perfeito, que não tive defeitos ou que só eu que estava passando por problemas, acabou porque precisava acabar. Inclusive se você, Ágata, por algum motivo descobriu o reddit e se reconhecer nesse post, saiba que mesmo não mais falando com você e não conseguindo mais olhar na sua cara(história pra outro dia), você pra sempre terá minha gratidão e meu respeito, nós vivemos muitas coisas juntos e, se hoje eu sou um homem, foi você que o moldou, muito obrigado.
Quando isso terminou, eu comecei a conversar mais com uma outra garota que eu conhecia, estudava na mesma escola que a gente, e conforme eu a conheci, ela começou a conquistar cada vez mais espaço no meu coração.
Carol era uma mulher interessante de várias maneiras, ela era extremamente extrovertida, cantava muito bem, tinha muitas histórias pra contar, era uma das pessoas que mais tinham ficado com gente na escola, e principalmente, ela tinha acabado de ganhar uma filinha. O jeito que a Carol olhava pra filha dela me fazia querer estar por perto, não porque ela parecia uma mãe incrível, mas porque havia uma dualidade dentro dela: aquela criança foi concebida de um estupro, onde foi muito difícil aceitar conceber a criança, quando ela nasceu era completamente visível que ela não sabia o que fazer, ela amava mais do que tudo aquela criança, ao mesmo tempo que ela via o homem que fez isso quando olhava pra ela(graças a deus, isso mudou bem rápido).
O tempo passou e eu e Carol começamos a nos dar muito bem, e em meados de 2019 a gente se beijou pela primeira vez, essa foi oficialmente a segunda pessoa que eu beijei na vida e cara, que coisa mais estranha, eu não sabia nem como descrever o que tinha sido aquilo de tão estranho... Até que ela me beijou uma segunda vez, e ai oficialmente, aquele era o melhor beijo do mundo.
Eu e Carol ficamos mais algumas vezes, e a gente se dava muito bem em tudo, até na cama era muuuuito diferente do que era com a minha ex, e a gente fazia tantas coisas juntos, viamos animes, conversavamos sobre varias pessoas, saíamos pra comprar roupas...
Cada dia que passava o meu sentimento só aumentava, e quanto mais ele aumentava, mais coisas que eu achava incríveis aconteciam, como a gente ver as coisas abraçadinhos, ficar de mãos dadas, varias dessas coisas de casal.
O meu erro? Carol desde o inicio falou "Não se apaixona por mim, eu não me apaixono por ninguém". Eu segui essas instruções o quanto foi possível, mas cara, talvez fosse loucura minha, mas parecia muito que ela também estava apaixonada, não com palavras porque toda vez que eu mencionava ela mudava a expressão e o jeito por um tempinho, mas as atitudes dela, os nossos momentos...
Depois de um tempo, no inicio desse ano, eu tentei cortar a Carol da minha vida torcendo pra que resolvesse meu problema, e deu certo por 1 mês até que ela me mandou mensagem perguntando quanto tempo isso levaria. Eu dei o meu melhor e coloquei todos os meus sentimentos em um texto, cada palavra continha tudo que eu sentia por ela, e ela também fez um texto de volta pra mim, e eu pude sentir o que ela sentia também, ela queria ser só minha amiga, e nada mais.
Nós ficamos mais 3 ou 4 meses sem nos falar até que, por intermédio de uma amiga em comum, a gente voltou a se falar e, desde então eu vi Carol mais umas 3 ou 4 vezes, mas é tudo muito estranho, a gente troca mensagens uma vez por semana e olhe la, eu nem acredito que um dia a nossa amizade volte, quanto mais a gente ficar ou coisas do tipo.
Mesmo com tudo isso, ela sempre viveu no meu coração.
Porem aqui vem a lição, meus amigos.
Há semanas atrás, eu consegui contato com uma garota que a gente não se via a muitos, muitos anos. Sabe aquela história de primeiro amor a gente nunca esquece? Esse foi meu segundo, e o que eu verdadeiramente nunca esqueci, eu sempre vou me lembrar do meu primeiro dia de aula numa escola completamente nova, e no fim do dia eu ainda todo perdido uma garota me puxa, me olha nos olhos e a primeira coisa que ela diz pra mim é: "Você namoraria comigo?". A resposta pra essa pergunta era não, obviamente, foi muito aleatório, mas eu estava tão nervoso que saiu "sim", ela deu um sorrisinho e voltou ao que tava fazendo. Desde aquele dia, Livia se aproximou cada vez mais de mim, e ela tentou me conquistar todos os dias, e acreditem em 2012/13 eu não era naada fácil.
E quando eu consegui falar com ela novamente, alguma coisa dentro de mim estalou, a gente voltou a conversar e era como se nada tivesse mudado, a gente conseguia desenvolver do mesmo jeito que a gente sempre fez, nem parecia que tinham 7 anos sem contato. A gente se viu algumas vezes(sim, eu sei que a gente ta de quarentena, todas as medidas de seguranças foram tomadas pra gente conseguir) e, cara, eu tinha me esquecido o que é olhar pra alguém que te olha como se você fosse uma obra prima, aquele olhar de quando éramos crianças não mudou nem um pouquinho, ela ainda olha pra mim como se eu fosse a pessoa mais legal do mundo.
Eu, com todos os meus defeitos, com todas as minha chatisses e meu jeito ""inteligente"" de ser, onde a lista de qualidades é exatamente igual a lista de defeitos, ela me vê como se fosse alguém muito mais do que incrível.
E eu olho pra ela assim também, e quando eu a olho, eu quero que ela sinta a pessoa incrível que eu vejo, uma pessoa que passou por inúmeros problemas pelo mundo afora e ainda passa, alguém que realmente foi a raiz do meu gosto pelas mulheres, que me ensinou que atitude é a melhor caracteristica possível em alguém, e que eu quero alguém com isso na minha vida, alguém que tenha coragem de me puxar pelo braço e dizer que me quer, alguém que queira os meus toques, alguém que querias os meus carinhos, as minhas massagens, os meus abraços, as minhas implicações, assistir animes ou séries comigo, beber comigo, aprender e viver todo tipo de experiências e situações. É isso que eu quero com ela também!
Esse é um pedacinho da minha odisseia, eu pedi a Deus, ao universo, a seja la o que for que estiver ai fora por nós, pra que 2020 seja um ano de apredizados e conquistas, 2020 foi o ano mais difícil da minha vida, onde por conta de um treinamento pra competição, da pandemia(home office) e tambem por causa de ter a Carol na minha cabeça, eu passei pela pior fase da minha vida, mas eu consegui correr atrás de ajuda a tempo(onde eu devo a minha vida a minha hipnoterapeuta, que mulher excepcional) e, no final dessa jornada, eu cresci muito e me tornei bem mais forte.
Muito obrigado, eu deixo aqui os meus agradecimentos a todas essas garotas, que me mostraram quem eu quero junto a mim e quem eu quero ser, a minha mãe que é a melhor mãe do mundo e, mesmo a gente se desentendendo as vezes, eu não resistiria sem ela, a minha hipnoterapeuta que consegue a façanha de me colocar em transe(hipnose ericsoniana é a melhor, sem dúvidas!) e que me ensinou muuuito mais lições do que eu teria aprendido em 20 anos da minha vida.
E principalmente, muito obrigado a mim mesmo, por ter aguentado até aqui, por nunca ter parado de ir pra frente mesmo pensando todos os dias em desistir, em jogar tudo pro ar, pensando até em coisas muuito, mas muuuuito mais escuras nos dias mais dificeis, mesmo assim nós estamos aqui, prontos para a proxima jornada, onde a gente vai sofrer, mas a gente vai aprender algo a respeito disso no final.
Se você chegou até aqui, meu caro amigo, eu só queria te contar a história de como eu descobrir o que, pra mim, é o amor. Amor é o que eu sinto quando olho pra alguém que também me devora com o olhar e as atitudes, amor não é toda a intensidade, todo o fogo, toda a loucura, não! Pode ser um pouco disso, mas principalmente, amor é reciprocidade, é você não ter que se esforçar em mudar 1001 coisas só pra agradar a pessoa, quem você ama e quem te ama de verdade gosta de você por ser quem você é, e é isso que eu quero pra minha vida, amar e ser amado!
Eu não sei se eu e Livia vamos ficar juntos, a gente deve descobrir mais a frente, mas eu sei que eu quero isso, e se o destino(ou o universo, ou deus...) não permitir que a gente fique junto, tudo bem, eu sei agora o que procurar, e que vai existir mais alguém que olhe pra mim do jeito que eu olho pra ela.
submitted by DanteStonecross to desabafos [link] [comments]


2020.08.31 05:18 _powerguido_ Senta que lá vem história

Ficamos juntos por 5 anos. E não foram 5 anos fáceis - minha ex namorada teve problemas que eu não sabia como ajudar. Ela era literalmente stalkeada por um ex colega de classe que simplesmente se apaixonou por ela e passou mais de dois anos perseguindo ela no trabalho, no mestrado, na academia. Chegou a conspirar com colegas da faculdade pra saber onde ela estava, quem eram as pessoas próximas dela. Tentou rapta-la, mais de uma vez. Subornou familiares para ficarem do lado dele. Pra ela, ele era só um cara que não sabia expressar os sentimentos bem. Se ele parou? Não. Mas reduziu a agressividade consideravelmente e hoje em dia se limita à "só" mandar um buquê de rosas no aniversário dela.
O cara já estava tão enraizado na vida dela antes de eu aparecer, que eu simplesmente não consegui convencer nem mesmo a minha ex de que ele era um cara realmente transtornado. O terror que era esse cara na vida dela só serviu pra agravar ainda mais o caso grave de ansiedade que ela tem. Vocês sabem o que é ver uma crise de ansiedade pela primeira vez, sem nem entender o que estava acontecendo? Mas uma crise grave mesmo, de fazer a pessoa chorar por duas horas sem parar, de ficar arranhando o corpo todo com as unhas e viver com hematomas nos membros do corpo por causa disso. E isso começou a ficar constante... uma hora eram uns arranhados no rosto, depois nas pernas. Até o dia em que eu fui ver ela e os dois antebraços estavam quase em carne viva.
E o pior, é que eu quase nem me lembro mais dessa época. Foi muito intenso e me afetou negativamente por muito tempo. Eu conseguia entender que um babaca machista se via no direito de perseguir uma mulher só porque ela não queria namorar com ele - mas meu deus do céu, eu com certeza não conseguia entender como ela mesma não via o quanto ela precisava de uma ajuda profissional por causa da influência negativa desse cara na vida dela (e por vários outros motivos que não valem nem a pena serem citados). Ela me usava como substituto pra tudo que ela não tinha na vida dela - um pai, um irmão, um psicólogo, um amigo. E eu me deixei levar, porque era ingênuo. Porque era meu primeiro namoro. Porque eu achava que eu podia consertar isso. "Depois das primeiras sessões no psicólogo ela vai perceber que esta fazendo bem pra ela", eu dizia pra mim mesmo. Passamos em tantos psicólogos, psiquiatras, gurus. Fizemos academia juntos, eu praticamente morava com ela e não ficava mais com minha família. Eu achava que eu podia dar um jeito na vida daquela menina.
E sinceramente? Eu podia mesmo. Eu não acho que falei alguma coisa errada pra ela em todo o tempo que estávamos juntos. Mas ela nunca me ouvia. E se ela ouvisse, talvez ela tivesse passado por essas situações com mais facilidade, nosso relacionamento teria tomado outros rumos e nós ainda estaríamos juntos. Mas não estamos, e quem está perdendo com isso é ela, porque ela não me superou com certeza. Ela mesma me fala isso.
Eu não acho que eu era um namorado incrível e maravilhoso. Eu nunca tive um carro pra conseguir dar um rolê com ela. Com meu dinheiro mal dava pra gente ir no cinema uma vez por mês. Mas cara, eu me esforçava tanto, tanto mesmo. Lembro que eu um dos dias dos namorados eu quase varei a noite fazendo uma carta à mão de umas 10 páginas, tinha vários desenhos coloridos, poemas apaixonados e promessas de amor. Ela achou ok. Gostou mais do bicho de pelúcia que eu também dei, que custou 10 reais e que claramente não tinha nenhum valor sentimental pra mim. É muito difícil lidar com um cara que persegue sua namorada, mas acho que é mais difícil quando sua própria namorada não dá valor pra como você expressa seu amor por ela.
Mas você leitor deve estar pensando "Mas você disse isso pra ela?" E a resposta é sim. Eu sempre fui sincero com ela, se algo me chateava, eu dizia. Nada do que eu estou escrevendo aqui é algum segredo pra ela. E eu achava que ela ia trabalhar essas informações pra criar um relacionamento mais confortável pra mim e pra ela. Mas ela escolheu ignorar.
Mas o motivo de eu estar escrevendo tudo isso mesmo na verdade é outro. A gente terminou, mas foi razoavelmente tranquilo e decidimos continuar nos falando. Nós dois somos adultos, não é porque discordamos de alguns pontos que precisamos deixar de apreciar a companhia um do outro pra todo o sempre.
E é aqui que sou obrigado a voltar pro começo do nosso namoro. Porque apesar de termos iniciado o namoro cada um com mais de 30 anos, perdemos a virgindade juntos. Crescemos sexualmente juntos. Aprendemos tanto juntos! Eu mais ainda, visto que era meu primeiro namoro. E eu reclamei muito aqui da minha ex (e ela realmente tem os defeitos muito marcantes dela), mas eu também preciso admitir que ela em muitos momentos foi tão minha parceira, minha confidente, minha amada. Eu passei calado por todas as situações que eu já descrevi aqui e muitas outras tão ruins quanto porque, no fundo mesmo, pra mim estava valendo a pena. A gente tinha intimidade, apesar da dificuldade extrema dela de se abrir pra mim. Eu estava sacrificando meu bem estar mental e físico para sustentar o nosso relacionamento.
Tanto que só perto do final do nosso relacionamento que ela assumiu pra mim a atração por outras mulheres. Eu entendo ela, tem gente que não reage bem à isso. Eu tenho certeza que a família dela não reagiria nada bem. Entendo que era um segredo que ela queria deixar só pra ela, e que mesmo com toda a intimidade sexual que a gente tinha, ela também tem o direito de manter coisas só pra ela. É justo.
Só que eu não fiquei com raiva, nem com medo de ela querer me trocar por uma mulher, nem tive essa ideia fetichizada de transar com duas mulheres ao mesmo tempo. Eu sou um cara hétero, mas eu acho o amor lésbico de uma sensibilidade e de uma beleza inexplicável. Eu sempre me sinto mais seguro perto de mulheres, sempre me conecto mais com elas. Desde pequeno eu gosto da presença feminina. Então a ideia de duas mulheres partilhando um relacionamento, parece uma coisa quase mágica pra mim. E de novo, não é nada sexual nem fetichizado, eu realmente só acho muito bonito mesmo. Então qual foi minha reação quando descobri que minha ex tinha vontade de viver isso que eu acho tão incrível? Incentivei ela à correr atrás disso.
Mas é claro que ela, criada numa família extremamente católica, iria simplesmente sair atrás de uma guria do dia pra noite. Foram meses de conversa, de aceitação da parte dela também, de entender que ela não era uma aberração da natureza porque sentia atração pelo mesmo sexo (e também pelo sexo oposto). Nossos últimos meses juntos foram repletos de muitas conversas relacionadas ao mundo LGBT+ e afins. Acho que nós dois também já sabíamos que as coisas não estavam mais super bem entre nós, e que era questão de tempo até a gente se separar. Nosso relacionamento estava bem desgastado mesmo. É estranho porque a gente consegue ser extremamente forte pra parceira quando ela precisa ir correndo pro hospital, ou tem uma crise de pânico, ou não se sente segura na rua e precisa que você pare o seu dia para fazer companhia à ela - mas parece perder a motivação quando essas situações se normalizam e você percebe que talvez aquela pessoa simplesmente não tem a proatividade de te mandar uma mensagem perguntando "como foi seu dia", e de alguma forma sempre está online no whatspp. Sim, nosso relacionamento acabou. E foi bom ter acabado. Eu precisava desse término, muito mais do que eu precisava de uma namorada.
Mas também é muito bom saber que aquela pessoa por quem você passou anos cultivando um sentimento também está vivendo a vida dela. É bom saber que dá pra gente marcar um dia pra devolver as roupas dela que ficaram aqui em casa, sem drama, sem dor de cabeça. Ela foi muito madura no término, eu também. De certa forma nosso namoro acabou, mas continuou como uma amizade - bem menos intensa, bem menos problemática, bem mais fácil de lidar. Mas também sem as partes boas, sem aquela sensação de que se está ajudando a pessoa. Mas é muito mais do que milhares de pessoas separadas têm hoje em dia. Não posso reclamar, eu tenho muita sorte.
Eu só queria mesmo poder partilhar com ela a experiência da descoberta homoafetiva dela. O que não vai acontecer, já que ela já deixou claro que não é obrigada a revelar nada da vida pessoal dela agora que nosso relacionamento terminou - e ela tem total razão nisso. Eu sei disso, eu concordo com isso, e ao mesmo tempo eu acho que ela está sendo tão injusta por me negar esse fato.
Eu sei que não justifica, mas eu me dediquei tanto ao nosso antigo relacionamento juntos. Tive que entender que eu não estava mais sozinho no mundo, eu tinha alguém pra dividir o mundo comigo. Eu tive que aprender a baixar minha guarda, contar o que me dava medo, me expor totalmente à alguém, me desconstruir inteiro. E isso é muito difícil pra mim. Eu sei que ela não me deve nada, e eu sei que eu sou um idiota por me apegar tanto à esse motivo tão besta. Mas isso é realmente importante pra mim. Tem uma coisa dentro de mim que é ansiosa em saber se minha ex está se sentindo acolhida por uma outra mulher, se teve uma boa primeira experiência. De novo, eu sei que soa muito trivial, mas é uma verdade tão grande dentro do meu coração que me faz querer chorar quando lembro que isso nunca vai acontecer.
E não tem nada que eu possa fazer a não ser aceitar. E é exatamente isso que eu venho tentado fazer, pelos últimos 6 meses.
submitted by _powerguido_ to desabafos [link] [comments]


2020.08.31 03:54 LilyoLirio Sinto que é hora de terminar, não sei mais o que fazer

Preciso muito da opinião de voces, pois quem é próximo não quer opinar:
Namoro um cara mais velho, a quase 9 anos
Depois de uns 4/5 anos de namoro, comecei a falar sobre morarmos juntos e planejar o casamento. A resposta dele era uma só: não tinha condições, pois precisava ganhar mais para isso, precisava de uma “promoção” no trabalho
Pois bem. Incentivei ele a correr atrás da promoção, estudar, se dedicar. Passamos finais de semana trancados na minha casa, pois só lá ele conseguia estudar. Deixamos de sair para ele economizar. Depois de 2 anos, a “promoção” veio
Achei que tudo mudaria. Mas adivinhem? Nada mudou. Continuou “sem dinheiro”, até para coisas mais simples como sair para jantarmos e dividir a conta. Diz que não consegue alugar uma casa comigo ou economizar para o casamento. Chamei ele para morar com a minha família, para ver se ele se animava com a região. Ficou aqui um ano e pouco, nunca pagou UMA conta, de vez em quando fazia umas compras no mercado. E só
Fizemos uma viagem ano passado e pediu para passar TUDO no meu cartão, passagem, hotel, restaurante, banquei sozinha uma viagem que deveria ser dividida. E Não me pagou até agora.
Já ofereci ajuda para organizar as finanças, ele não me ouve. Não sabe me explicar onde vai parar tanto dinheiro, minha desconfiança é que ele banca a casa dos pais, mas não me conta pois já discutimos sobre isso. Passamos muito tempo juntos, me dá a senha do celular e tal, por isso não acho que seja traição
Eu estou esgotada. Gosto dele mas não consigo mais viver nessa incerteza. Para piorar, quero mudar de trabalho e agora que preciso não estou recebendo o mesmo apoio que dei
Sinto que já é hora de terminar, mas sempre fico na esperança das coisas melhorarem e medo de me arrepender
O que vocês acham? Agradeço muito a opinião de vocês que leram 🙏🏻
submitted by LilyoLirio to desabafos [link] [comments]


2020.08.29 06:47 yurizinho_de_merda Quero parar de mora com a minha familha

Oi sou um menino trans mas nao posso corta o cabelo nem me arrumar do jeito q quero nem falar do jeito q quero eu moro com pais muito homofobicos e ainda por cima eu tenho um namoro trisal eu ja escurtei tanta coisa q chega a doer na alma como "vc é uma pessima filha" "vc ta fazendo suruba q coisa nojenta nunca pensei q teria isso da minha familha" isso ja me magoou muito e a uns 4 meses atras meu pai quebro o meu celular pra nao falar com o meus namorados falo q to muito mal educada (pq eu cortei o cabelo escondido e tbm fiquei com depressao e nao queria sair da cama pra nada) minha mae fico sem falar comigo por nao estar em um padram minha mae (meu pai e minha mae sao separados) ela me tiro de casa pq eu estava com depressao e ela sempre falava "ela nao ta com depressao pq eu começo minha filha" nem imagina ela q eu tentei suicidio 5 vezes meu pai me deu um soco no olho por "responder" ele e depois me deu um soco na boca por chamar ele de "mano e cara" só tem um problema meu pai nunca foi presente na minha vida e do nada chego na minha vida me batendo assim to sendo obrigado a morar com meu pai por conta da pandemia ele me deu um celular novo pq minha mae mando. Minha mae via os cortes dos meus braços e nao falava nada apenas ria um dia minha tia e minha mae se reoniu pra falar q remedios nao ia me matar se eu quero morrer tenho q fazer mais es forço meu pai e minha mae tbm se junto pra pergunta "eu vi a lamina na mesa pq vc ta se cortando?" e eu chorando e falando "pq eu me odeio" e eles apenas ficaram fazendo deboche como se nao ligace minha mae vive bebendo e meu pai é um maconheiro e tipo eu quero muito sair daqui e tentar ser feliz em outro lugar com meus namorados mas sou de menor eu juro q teve uma hora q meu pai falo "vc m q eu va atras deles e mato eles?" mano serio eu ja to sem esperanças do q fazer... Acho q apenas posso tentar suicidio dnv
submitted by yurizinho_de_merda to desabafos [link] [comments]


2020.08.27 23:21 _Suh_55 Sou babaca por me apaixonar pelo crush da minha melhor amiga???

Olá Luba,editores,plantas e papelões e possíveis convidados,hoje estou fazendo minha primeira historia e quero saber se sou a babaca ou não.
Bem,tenho uma melhor amiga desde infância e desde que nascemos ,vamos chama-la de "a loirinha" ,e bem com o tempo eu tinhamos nos esquecido uma da outra (pois éramos crianças) então um dia minha mãe mostrou uma foto minha com a loirinha e eu decidi conversa com a mesma no outro dia na escola ,e desde então nos tornamos amigas denovo e por ai ficamos best friends ate o 7° ano ,ate que um dia a loirinha me convidou para sair pra vender trufas e empadinhas com os amigos dela,então ok ate ai td bem aceitei ir ,depois da escola fui pra casa,me troquei e minha amiga chegou em minha casa para me buscar (estava de noite,acho q umas 19:00) e eu vi um garoto lindooo ,maravilhoso do lado dela !! Vamos chama-lo de "Carls" ,mas ai ela falou "miga esse aq é meu mariduuu ,minha propriedade nao toque nele ;)" e o abraçou ,na hora me apaixonei.Depois disso td no outro dia na escola ficamos amigos eu,a loirinha e o carls ,mas eu ficava mal pra krl ver os 2 juntos e eles na vdd nao namoravam nem nada ,mas o carls meios q pegava nós 2 quando tinha a oportunidade de ficar com uma de nós 2 a sos ,e nós 2 ficávamos mal pra krl ,pq nós 2 éramos apaixonada pelo mesmo boy ,e toda noite eu e ele mandavamos mensagem um para o outro (o carls e eu) e ele ficava dando em cima de mim como eu dava em cima dele tbm!!,Eu ficava mais apaixonada ainda.Então a loirinha já sabia q eu gostava do carls e eu sentia q ela me odiava por isso ,mas ai td bem passou o tempo ai a loirinha chegou em mim e falou que gostava de outro menino que eu poderia ficar com o carls de boas (GRAVEM BEM ISSO,ELA DEU "PERMISSÃO" PRA EU FICAR COM ELE!!) e estava chegando meu aniversário de 13 anox <3 e a loirinha na casa dela falou pro carls" po ,tive uma ideia ,pra vc da um presente pra Suh,pq vc n pede ela em namoro???" então no outro dia na escola A loirinha juntou eu e o carls e tipo...JEITO SUPER ROMÂNTICO DE SE PEDIR O OUTRO EM NAMO NEEEH???Ele me pediu na quadra da escola durante meu recreio!!e falou tipo "eae quer ficar cmg??" eu fiquei super timida e LOUCA!!nao acreditando no que ouvi e eu aceitei ,claro ,se passou uma semana e chegou o dia do meu aniversário e claro, convidei a loirinha,o carls e mais um garoto q era nosso amigo ,nos divertimos ,então no outro dia quando estava indo pra escola meu amigo (vamos chama-lo de Gabi ) chegou correndo em minha direção todo ofegante falando "SUUH o carls falou q quer terminar contigo!!" eu nao acreditei nele ,claro ,pois o carls sempre me dizia q me amava...quando cheguei no portao da escola ,a loirinha chegou com o carls com a cara de quem sabe q vai da merda ,e eu ouvindo música de boas o carls chegou em minha direção e falou "quero terminar com vc" e eu fiquei em choque ...fiz um puta drama me joguei no chão e fiquei sentada e fiquei chorando ali mesmo...enquanto o carls ia com seus amiguinhos sem o minimo pingo de remorso ...e eu sai correndo feito criança no braços da conselheira da escola e contei td...
Se passou um tempo e a loirinha voltou a ficar com o carls e eu ainda nao tinha superado ele,E ela sabia q ela estar com ele me machucava pra krl ,e sofri com isso durante muito tempo vendo os 2 juntos , o carls me dava bolos quando íamos marcar de ficar juntos pra ficar com a loirinha...E eles me viam chorando e simplesmente me deram as costas e nao tavam nem ligando se aquilo me machucava ou nao ,nunca me perguntaram "Suh vc esta bem com eu e o carls juntos??" ...e o carls sempre ficava nervoso quando eu perguntava oq eles faziam sozinhos...e ele nunca me contava a vdd ,ai se passou mais uns tempinhos e eu e o carls voltamos a namorar mas ai ele me falou "mas ninguém pode saber .." e eu topei já q eu estava "cega" por ele ,passou um tempinho e ele ainda estava com a loirinha e eu ficava super CIUMENTA com aquilo!!!Ate que me cansei e decidi falar pra loirinha "Olha acho q n estou sendo sincera com vc e nem o carls,então vou te falar ,eu e ele estamos namorando escondidos de vc" ai ela ficou puta pra krl cmg e começou a me humilhar na frente da classe inteira(todos estavam olhando) e o professor fez porra NENHUMA!!apenas falou" opa vamos acalmando os animos??" e ela continuou me humilhando falando "garota PQ EU ACREDITARIA EM UM SER TAO FRACO COMO VC??VC N ACEITA NEM UMA VDD NA CARA Q EU E O CARLS GOSTAMOS UM DO OUTRO !!!VC É ASSIM PQ VC É FRACA,VC É UM LIXO!!!" me lembro de cada momento e palavras...e ela amassou um papel e atacou em minha cabeça e disse "lixo no lixo,nem dói né!!!??" Eu corri pro banheiro e fiquei chorando lá....(e pra piorar tenho crises de ansiedade) Então desde então paramos de ser amigas ...mas pensa q acabou?Ai q vem a treta meu caro Lubisco ,contei td pra minha tia q a propósito faz barraco quando é preciso!E OQ A vó da loirinha nao sabia é q a vó e minha tia já tinham brigado uma vez mt feio e minha tia q saiu com razão ,Então a loirinha "parou" de mexer cmg ...mas ela sempre manipulava todos da escola pra se afastar de mim,ate q todos os amigos q eu tinha se afastaram de mim por culpa dela q ela os manipulava espalhando coisas minha q n quero citar... Fiquei como a "louca" da escola ..ela sempre se fazia de vitima para as pessoas e me fazia sair como a vilã ..pras diretora ela dizia q eu roubava os brinquedos dela quando éramos crianças (q era mt mentira isso..)
Desde então não somos mais amigas,mt pelo contrário,todo o amor e carinho q tínhamos uma pela outra virou odio e rancor (viramos rivais) ,mas eu e o carls namoramos por mt tempo desde então quando ele se afastou dela e decidiu ficar cmg ...mas dps de quase 1 ano terminamos por causa de ciumes obsessivo do carls ...mas agr estou com outro boy mt fofo tem os mesmo gostos e personalidade <3 e estamos bem (esse ano ,e fiz 14 anos)
E aqui em casa meus pais e eu somos proibidos de citar o nome dela por acreditamos q trás "briga" pq sempre q falamos o nome dela acabamos brigando.
submitted by _Suh_55 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.24 15:02 LeastFudge9 Se querem uma dica, procurem saber o que buscam em relacionamentos antes de sofrerem por não estarem em um (ou de efetivamente entrarem em um)

Vejo muitos posts de "nunca namorei" por aqui, entendo cada um de vocês e digo que me vejo um pouco nesses posts também. Talvez meu post ajude. Isso aqui vai ser longo.
Sou homem, hétero e tenho quase 25 anos. Até os 22, nunca tinha namorado, nem transado, e entre essa idade e meu primeiro beijo (aos 11 anos de idade), eu havia beijado quatro garotas, uma delas talvez eu não devesse contar, pois foi uma amiga de minha mãe bem mais velha que praticamente me forçou a fazer isso quando eu tinha 14 anos. Mas ok, contemos quatro garotas dos 11 aos 22 anos. Isso me deixava triste nos mesmos moldes que vejo aqui em muitos posts.
No dia do meu aniversário de 22 anos, uma conhecida 16 anos mais velha avançou nas investidas por WhatsApp e me enviou nudes. A partir de então, foi tudo muito rápido, tive minha primeira vez com ela e foi fantástico. Ela estava em um processo de divórcio iniciado havia menos de um mês e tinha um filho de oito anos. Daí começa meu inferno.
Ela era uma mulher muito inteligente, bonita e, para me convencer a iniciar um namoro, praticou o famoso "love bomb", eu me sentia o cara mais foda do mundo, ela inflava minha autoestima de uma forma que ninguém jamais havia feito. Iniciamos um relacionamento sério e entrei no fogo cruzado de uma guerra que envolvia minha então namorada, o filho único dela de oito anos de idade e um ex marido extremamente agressivo e descontrolado.
Cheguei a receber ameaça por WhatsApp do tal ex, o filho dela levava recadinhos velados do pai pra mim, me ligava quando estava com os coleguinhas e me xingava das piores coisas e dos piores nomes possíveis (palavras que uma criança da idade dele não devia saber). Tudo isso enquanto frequentemente o garoto chegava da casa do pai quebrando a casa e gritando, eu acho que isso de esperar o inferno toda vez que ele ia pra casa do pai provavelmente foi o que me fez desenvolver um grau de ansiedade. E como já deve ter sido possível perceber, rapidamente eu ficava mais na casa da minha então namorada que na minha própria casa, por livre espontânea pressão.
Como se não bastasse, minha então namorada era extremamente controladora. Com o tempo, eu não podia mais conversar com outras mulheres, ela gritava comigo e quebrava a casa quando estava - nas palavras dela - "surtada". Pra ajudar a ilustrar, lembro-me que uma vez bocejei enquanto estávamos em um restaurante (EU organizei a ida, foi meu presente de dia dos namorados) e ela começou a brigar, perguntando se eu não queria estar ali (e então passei a ter receio de bocejar perto dela - e eu bocejava bastante, porque trabalhava e fazia faculdade).
Houve também uma situação em que recebi uma proposta profissional que significaria passar quatro meses em outro país. Ela surtou, passei uma noite em claro com ela gritando, quebrando a casa, tentando me expulsar de lá (como eu iria embora com a mulher naquela situação?). Enfim, foi um inferno, nem gosto de lembrar. Acabou que eu neguei a proposta profissional, ao mesmo tempo em que ela saiu falando para meus amigos (que viraram amigos dela também) sobre como ela, apesar de triste com a distância, achava uma oportunidade e um projeto muito importantes. E também encontrou meios de me manipular ao ponto de eu ficar na dúvida sobre por que eu tinha negado a proposta. Recentemente, depois de mais de um ano de terminados, ela disse pra uma prima minha sobre essa história e confessou que "fez de tudo que foi possível" para que eu não fosse. Me senti um idiota.
O cúmulo, na verdade, foi quando minha família alugou um sítio para comemorar o aniversário da minha irmã mais nova, a festa consistia em as pessoas mais chegadas ficarem um fim de semana inteiro neste sítio. Nessa época, minha ex já tinha desenvolvido uma posse sobre mim que incluía ter uma espécie de ciúme do tempo que eu dedicava à minha família (que já era quase zero). Justamente por isso, percebi que minha ex estava resistente a ir para este sítio, optei por fingir que não tinha percebido. No dia de ir pro sítio, como eu já suspeitava, ela estava em surto e passou a manhã inteira deitada. O filho dela estava ansioso pra ir, pois tinha piscina e outras crianças, então resolvi que iríamos eu e ele, disse isso pra minha ex e falei pra ela me ligar assim que quisesse ir, que eu a buscaria. O sítio ficava a uma hora de carro.
Vou resumir o que aconteceu, embora para passar o meu terror eu devesse contar detalhadamente. Basicamente, para fazer-me sentir-me culpado por ter ido sem ela, ela resolveu colocar fogo em umas toalhas (muitas!) no chão do banheiro, a ideia - isso tudo eu só concluí passados meses - era criar uma cena de horroincêndio pra quando eu chegasse. O que ela não calculou é que o álcool evapora rápido, então ela queimou o rosto, parte do cabelo, o pescoço, parte dos seios e da barriga. Ela me ligou em pânico e eu corri de carro tarde da noite em uma estrada deserta. Daí em diante nossos dias foram de hospitais (eu fiquei nos hospitais o tempo todo) e cirurgias plásticas. Ela não ficou com nenhuma sequela física. Depois que a ajudei com as queimaduras (em casa, eu fazia os curativos) e cicatrizes temporárias, terminamos (e no dia seguinte ao término ela bateu o carro e, pela forma como foi, parece ter sido proposital). Mas, enfim, consegui sair desse relacionamento abusivo depois de quase dois anos. Esse textão que escrevi é só uma porcentagem do que passei.
Menos de um mês após esse término, retomei contato com uma amiga (e paixonite platônica) de adolescência, acabou que ficamos e veio outro "love bomb". Caí nessa de novo pra depois de dois meses ela me tratar feito lixo, me dar respostas mal educadas, me ignorar e perder a paciência por coisas banais. Essa noite tive um pesadelo com o desdém dessa última ex (faz nove meses que terminamos) e acordei mal, por isso vim aqui desabafar. Felizmente, esse outro relacionamento não durou mais que quatro meses.
Hoje, olhando pra trás, percebo que caí nessas porque tenho uma carência advinda de um abandono afetivo na infância/adolescência, fruto de situações com meus pais. Ou seja, eu estive buscando suprir com relacionamentos uma carência paternal/maternal, então virei alvo fácil para pessoas complicadas ("love bomb" e visões idealizadas e fantasiosas de relacionamentos me fisgaram fácil). Eu estou bem atualmente e bastante feliz com vários projetos pessoais e profissionais, talvez esteja na melhor fase da minha vida nestes termos. No entanto, estou quebrado para relacionamentos e sei que precisarei de terapia para superar a resistência que adquiri com os traumas que relatei. A conclusão é: procure conhecer a si próprio e reflita bastante sobre porque não estar em relacionamentos lhe afeta, pois você pode estar tentando tapar um buraco que na verdade lhe fará ser presa fácil. Esteja em um relacionamento por ter descoberto alguém que te leve para frente, não somente por estar. Inclusive, não faz sentido estar em um relacionamento apenas porque você quer estar em um relacionamento. Não sei se estou sendo claro.
É isso, obrigado.
submitted by LeastFudge9 to desabafos [link] [comments]


2020.08.24 05:33 marcel22bala Posso a me tornar um incel

Texto grande a vista ...
Há algumas semanas , caiu a minha ficha do porque eu não ter muitas amigas e acho que isso deve pelo fato de que toda vez que eu tinha o intuito de conversar com uma garota era porque tinha segundas intenções ( namoro , sexo ) , isso me deixou devastado até porque umas das boas amizades que cultivo muito , proveio destes interesses...
Eu me desenvolvi num ambiente muito masculino , era todo dia bricando com os meus primos , os garotos da rua e na escola tbm . No meu circulo social não havia uma garota , eu não as a via como alguém que você fazia amizade mas sim alguém para namorar . Eu não achava que era possivel garotos da minha idade conversar com uma garota apenas pra ser amigos , era tudo uma questão de algo a mais .
Isso seguiu até o meu EM , onde graças ao universo eu pude sair da minha bolha de only male friends para garotas também . Mas ai foi tudo muito estranho " como essa garota ta conversando comigo e não quer nada comigo ?? "Ou deu atenção pra mim " sera que ela quer algo comigo ? " . Ao longo do tempo essas perguntas foram recorrentes . E nas elucidações que eu tive ainda no EM é que o motivo de eu ter vergonha pra conversar com garotas é que eu queria algo a mais ( quando eu tento transparecer algo que não sinto de vdd uma hora acaba saindo pela culatra ) , quando eu era legal , gentil com elas - com as garotas que eu tava interessado - era sempre pra ter algo em troca ( namoro ...) .
Acho engraçado , você deve ter pensado agora " vish é daqueles altos proclamados "niceguys". Sim , reconheço que fui um , mas não aqueles que vc vê no niceguys , mas aquele que reconhecia que estava sendo legal pra ter algo em troca ( n , eu não xingava mulher na net apesar de que participava de grupos de shitpost , que esse tipo de coisa era recorrente ) , mas no fundo , bem lá no fundo eu sabia que era simplesmente uma fucking OBRIGAÇÃO ser gentil , educado com as pessoas em geral !
Anteontem e ontem vi dois videos da ContraPoints que falava sobre homens e incel e caralho me senti mal pra porra de achar que eu posso chegar no nivel de um incel fudido . Isso me deixou desesperado
Namoral só queria poder tefazer amizades com garotas sem que essa nóia de segundas intenções aparecesse . Uns pode achar normal mas quando a luz da segunda intenção acende pra toda garota que tu comprimenta , conversa acho que isso é algo anormal . Atualmente estou tentando mudar ...
Obrigado , se leram até aqui ! Tenha um bom ( quando estiverem lendo isso aq )
submitted by marcel22bala to desabafos [link] [comments]


2020.08.22 02:27 Luizinguitar3 Não aguento mais lidar com merdas de terceiros que refletem até na vida pessoal de quem não tem nada a ver.

Minha mãe é uma pessoa que sempre estudou muito e fez de tudo para nunca precisar contar, financeiramente e/ou emocionalmente com a família que ela tem, no caso, a mãe, pai e irmã dela. Construiu uma carreira na área de química ligada a radiação, hoje é pesquisadora e, apesar de estarmos falidos por causa de terceiros, ganha bem.
Tudo foi bem na medida do possível, até que, em por volta de 2007, meu avô, pai dela e já idoso, foi preso num esquema criminoso aí que rolou (nada muito sério, tipo matar alguém, mas ainda assim crime) e ela teve que gastar boa parte da grana que ela não tinha com advogado para, além dele, minha avó e minha tia que era cúmplices de tudo.
Alguns anos depois dessa treta, minha avó, que não olhava na nossa cara há pelo menos uns 8 anos, oficialmente perdeu tudo que tinha e veio morar aqui em casa, que não é um lugar grande, e ficou quase 5 anos (de 2015 até o final de 2019) nos enchendo o saco, já que ela é uma pessoa extremamente ingrata e egoísta, fazendo com que pessoas que amávamos e que frequentavam nossa casa nunca mais nos visitassem e, de quebra, como tinha sido recém diagnosticada de um câncer, gastando mais dinheiro da minha mãe, porém não dizia nem um obrigado para nada. Uma vez minha mãe sofreu um acidente de carro, chegou em casa visivelmente machucada e ela só foi reparar 3 dias depois (e eram hematomas gigantes no pescoço e braços, ou seja, dá pra ver fácil). Mesmo não querendo e evitando demonstrar, minha mãe sofria muito com isso.
Nesse meio tempo, meu avô saiu da prisão e aí foi mais grana da minha mãe pra sustentar ele agora, que mora com a irmã dele, tia da minha mãe, e, de quebra, ainda teve que pagar dívidas absurdas da irmã dela, que nunca paga o que deve, não faz absolutamente nada para os pais e ainda é extremamente grossa e agressiva com a minha mãe. Entre 2007 e 2015, minha tia morou com minha avó e sentava a porrada nela (na época minha avó tinha entre 70 e 78 anos, ou seja, idosa), e mesmo assim é a filha favorita de ambos até hoje.
Pra coroar a treta toda, no final de 2016 meu pai, que mora com a gente, começou a demonstrar uns comportamentos estranhos e só esse ano (por volta de março se não me engano) finalmente um médico o diagnosticou com uma doença cujos sintomas casam com o que ele tem. Ela se chama demência fronto temporal e, se pesquisarem sobre casos, vão ver que a rotina da pessoa e das que convivem com ela mudam muito devido a isso. De quebra também, o gasto mensal aumentou muito, além de tudo, devido a necessidade de médicos, já que nosso plano de saúde que é o único que conseguimos pagar não ajuda em praticamente nada, e, pra coroar, o salário dele e da minha mãe caíram em mais de 50%. Se não fosse o auxílio emergencial e um auxílio que tô recebendo pela faculdade nem sei o que faria, já que também não ganho lá muita coisa pelo trabalho e, como sou autônomo, não tem como contar muito ainda mais nesse período.
Apesar de ser uma pessoa doce, inteligentíssima, tratar todo mundo bem, todo mundo gostar muito dela e admira-la bastante, inclusive eu, sei que ela tenta muito ser uma ótima mãe, mas não é a pessoa mais atenciosa do mundo em relação a mim e minha irmã. Os únicos assuntos que ela conversa comigo são faculdade e trabalho (ela é acadêmica e sonha com meu doutorado, sendo que nem no terceiro período da faculdade tô). Normalmente, como ela tem que carregar o mundo nas costas, ela se preocupa mais em resolver o que dá pra ser resolvido e tapar o que está ruim com uma peneira até não dar mais e aí precisar resolver.
Meu pai era um excelente pai e realmente não é exagero, mas na situação atual não é como se ele conseguisse dar conta das coisas, mesmo qu minimamente, então ela se sente frustrada e sozinha por ter pedido o suporte dela. Ambos se davam muito bem e foi (e é) bem foda pra ela.
Apesar de eu já ter o diagnóstico médico de depressão há pelo menos uns 5 anos, esse período de pandemia piorou tudo e, além disso, tenho tido crises bem ferradas de ansiedade. Não só devido a minha família, mas também porque namoro uma pessoa cuja mãe é (diagnosticadamente) narcisista, que faz a vida dela um inferno e, apesar de termos um relacionamento foda entre nós dois, eu estou sempre preocupado com o que essa mulher possa fazer. Além disso, mesmo quando não rola nada, não consigo dormir bem. Até malhando e tomando remédios (prescritos) tá ficando difícil e sinto que estou a beira de ter um colapso nervoso. Muitas noites me vejo tremendo, sem conseguir respirar, com pensamentos suicidas e completamente exausto, mas sem conseguir dormir. A única coisa que tenho feito fora de casa é levar meu pai pro mercado e na padaria, porque ele gosta de, nas palavras dele, "dar voltinha" no quarteirão, e ir no banco quando preciso resolver algo. Ou seja, se eu já não tinha muita "vida", agora tá pior ainda.
A questão é que essa parada de, não só minha mãe, mas principalmente ela (que é meio que meu único apoio familiar e na vida além da pessoa que namoro) fazerem tão pouco de mim e do que sou e sinto fica me matando porque não importa quantas vezes eu peça ajuda, ninguém ouve. Tenho muito medo de acabar tendo um colapso nervoso, como já aconteceu antes.
Faço acompanhamento psicológico há uns anos e recentemente (faz uns 3 meses) mudei o atendimento de 1x para 2x por semana, mas o que são só duas (dependendo da semana menos) sessões de terapia para alguém que passa a semana cagado?
E, assim como a pessoa que namoro passa com a mãe dela, ter que lidar com um monte de consequências ruins na vida por causa de coisas merdas que terceiros que pouco tem a ver com a sua (como meus avós, minha tia e minha sogra, por exemplo) e se ver completamente sem perspectiva por causa dos outros é muito ruim.
Não tenho muitos amigos (não que dê pra pedir algum apoio nem que seja pra ouvir como me sinto) e minha família, que já era distante, depois da doença do meu pai simplesmente sumiu.
As vezes sinto que minha mãe quis ter os filhos, mas nunca pensou de fato em como seria cuidar deles, até porque ela nunca teve quem cuidasse dela, então nem faz ideia de como é isso e, de fato, quem era mais ativo no nosso dia a dia, até porque o horário de trabalho dela era menos flexível, era meu pai, então até essa quarentena ela nunca tinha ficado tanto tempo perto da gente e muito menos em casa.
Tenho uma irmã, que é menor de idade, e minha mãe até dá um certo apoio e presença maior a ela por conta disso, mas, no meu caso, é como se eu fosse só uma pessoa que mora de favor aqui. Entendo que muita gente se sente assim depois que faz 18 anos, mas é foda principalmente quando não se tem ninguém para contar, ou ao menos um amigo pra desabafar.
Tenho muita dificuldade em fazer amizades, o que piora tudo, e acho que isso também vem do fato de que, apesar de eu sempre ter sido uma pessoa introvertida e mesmo assim conseguisse fazer uma ou outra amizade, os últimos tempos pra cá, por estar sempre ansioso, preocupado e correndo pra lidar com a minha família, seja porque meu pai não pode ficar sozinho em casa, ou porque trabalho, ou porque deu uma merda nova na vida da minha mãe e ela tem que resolver em cima da hora ou porque minha irmã tomou remédios demais e foi parar na UTI (sim. Já rolou algumas vezes, já que ela também é depressiva).
Para botar a cerejinha no bolo, sou homem trans e comecei com os hormônios há cerca de um ano, logo minha cara tá bem diferente e minha mãe não lida bem com isso, então, querendo ou não, isso também afastou mais a gente. Nas palavras dela quando contei: "eu já tenho um monte de problema pra resolver e você me aparece com mais isso?"
Penso muito em sair de casa, pouco antes da pandemia tava começando a tirar isso do papel, mas sempre que comentava sobre a ideia, como algo hipotético, todo mundo aqui falava que agora não dava, porque eu tinha que ajudar a cuidar do meu pai, e, com a pandemia, desanimei de vez (e o dinheiro todo acabou, pois era isso ou mais dívidas.)
Percebo sim que minha mãe tem uma preferência pela minha irmã, pois, por ela gostar mais de estudar que eu, principalmente coisas tidas como "normais" (normal eu digo coisas que compreendem as áreas de exatas, humanas, línguas e biológicas. Claro que nada é tão simples assim, mas eu faço faculdade de música então forçando a barra acho que deu pra entender a comparação), se for pra escolher quem vai cuidar da casa e do meu pai e quem vai estudar acho que já temos uma resposta. Além disso, a personalidade de ambas é bem parecida.
Realmente não sei o que fazer. Não sei se alguém vai ler até o fim, digitei tudo de uma vez. Só queria me sentir capaz de ter a minha própria vida, não só financeiramente, mas sem situações que bloqueassem completamente qualquer coisa que eu tentasse e automaticamente fizessem com que eu me sentisse cada vez mais sufocado nessa bola de neve gigante.
submitted by Luizinguitar3 to desabafos [link] [comments]


2020.08.19 05:32 dandanyami A ex do meu namorado que virou minha stalker

Ola Luba, papelões zumbis, possível convidado e turma que esta a ver.
Vocês adoraram a história de quando a minha mãe tentou ensinar o médico a fazer a cirurgia então eu vim com mais uma, como o luba ta de ferias e acho que não tem como ir pra video vou dar mais detalhes.
Algumas informações importantes para a história, eu namoro a 10 anos em um relacionamento aberto, quando começamos a namorar ja decidimos que ia ser aberto e da super certo com a gente, e foi com nosso estilo de relacionamento que começou essa confusão que me persegue até hoje, essa historia acontece ao mesmo tempo que eu acompanho minna mãe nos exames e cuido da relação cirurgica dela da historia anterior.
O ano era 2017, eu e meu namorado iamos a eventos geeks todos os anos e por conta de estagio e faculdade eu não iria conseguir ir, mas meu namorado foi, depois desse evento em que ele acobou fazendo varias amizades ele se aproximou muito de uma menina que vou chamar carls, carls aparentemente tinha muitos gostos em comum comigo e por isso ele queria apresentar ela pra mim, e eu tinha pouquissimos dias livres, eu trabalhava num projeto da faculdade e quase sempre taca fazendo pesquisa e discutindo com minha orientadora, quando não estava no estagio ou no hospital com a minha mãe. Então eu conversei e mostrei pra ele os dias que eu poderia sair pra conhecer a Carls.
Ele tentou marcar varias vezes de sair com ela e comigo mas ela nunca podia, mas quando não era meu dia livre ela podia qualquer hora, e bem, eu sou distraida mas não sou burra entao eu me liguei que ela poderia estar a fim dele e estivesse bolada com a minha existencia, então como uma pessoa civilizada eu falei com meu namorado deixando claro sobre o que eu achava e que se ela e ele quisessem algo era ok, mas ela ia ter que entender que eu e ele estavamos juntos e ela não poderia me evitar pra sempre.
Quando ele tentou conversar com a Carls sobre isso ela negou tudo, e eu e ele somos o tipo de pessoa que se alguém diz "não" é não e seguimos a vida, a pesar que eu ainda achava que alguma coisa esquisita tinha, a prova veio em um dia que ele ia sair com ela e minha orientadora me ligou cancelando a reunião, eu falei com o meu namorado e ele disse "vem comigo então porque ela não tem nada hoje, vai dar pra vocês se conhecerem" quando estávamos prestes a sair pra encontrar com ela, ele mandou uma mensagem perguntando se ela ia, ela disse que sim e então ele avisou que eu ia junto, na hora ela arrumou uma desculpa dizendo que nao poderia ir, e eu só olhei pra ele e disse "ela não gosta de mim, ela com certeza esta apaixonada"
No dia seguinte eu sai do hospital depois de acompanhar minha mãe nos exames e fui fazer compras, eu sabia que eles iam sair só que eu não sabia onde e coencidentemente fui no shopping que eles estavam, vi eles de longe conversando, ela me viu, fez a maior cara de cu que ja vi e puxou meu namorado pra longe antes que ele me visse.
Eu sou uma pessoa tranquila e não tenho ciumes mas eu realmente odeio que me tratem de maneira grosseira quando nao fiz nada, entao eu falei pra ele que eu nao gostava dela, que nossa relação era aberta mas tinha respeito então esperava que ele me respeitasse e nao tentasse mais me envolver com ela, e ele me respeitou nisso, nao falou mais sobre ela pra mim e estavamos de boa, ate eu perceber que ele tava ficando muito mal.
Eu perguntei o que tava acontecendo e ele resolveu falar, essa menina tinha se declarado pra ele, eles saiam juntos e estavam meio que serios, eu não tinha problema pra isso, eu também saia com algumas pessoas de vez em quando, o problema é que a menina começou a falar que tinha depressão e ia se matar e era tudo culpa do meu namorado, ele me mostrou algumas partes de conversa com ela e me perguntou o que ele fazia pra ajudar.
Eu sensata e sabendo que aquilo era abusivo e uma maneira dela controlar ele, eu disse claramente que eu nao queria ele daquele jeito, que ela tava fazendo mau pra ele e que era pra ele se afastar dela pois ela estava sendo abusiva, quando ele falou com ela que eu não aprovava mais eles juntos, ai ela tentou ir atras de mim, me chamar sair pra me conhecer e falando que amava ele, eu falei pra ambos que aquilo não era problema meu, que eles fariam o que queriam mas se eu visse o meu namorado daquele jeito de novo ia foder com ela.
Eles tentaram por alguns meses mas a menina ainda era super abusiva e vivia ameaçando se matar e falando que era tudo culpa dele, e ele realmente tava preocupado, ela se fazia de vitima pros amigos dele dizendo que eu era ciumenta e tava perseguindo ela, e eles acreditaram nela e ficaram morrendo de dó, até que um dia em um surto de raiva ela me chamou de puta e falou que se eu morresse ninguém ia sentir minha falta pro meu namorado e foi ai que ele percebeu que tipo de pessoa ela era e ele terminou na hora.
Ai voces podem pensar, a historia acabou não? Bem o circo começou a pegar fogo com o termino deles pois uma vez que ela tava falando que ia se matar (motivo daquela vez: ele demorou 5min pra responder o whats) a bateria do celular dele acabou enquanto ele tentava acalmar ela e ele usou o meu pra ligar pra ela e se certificar de que ela não ia fazer besteira.
Carls tinha meu numero, ela pegou algumas fotos do meu insta, criou um tinder falso com fotos minhas se passando por mim e passava meu whats falando que eu tinha fetiche em ser xingada, ela fez isso por dias ate que o meu namorado comentou casualmente que eu tinha ido na policia, depois daquele dia os caras do tinder pararam, mas ai comecou perfis fakes desses numeros gerados em site me mandando fotos de pau tirados do google e me xingando.
Ela de tempos em tempos cria uma conta nesses sites pra mandar fotos de pau e me xingar, vou deixar o print da ultiza vez que foi bem recente, vai fazer tres anos mas essa menina me stalkeia ate hoje, cria perfil fake pra ver o que faço nas redes sociais e esses perfis de whats pra mandar mensagem, minha namorada de São paulo e meu namorado acreditam que ela tem ódio demais pra não ser alguma paixão secreta por mim. O que vocês acham?
http://imgur.com/a/DjX32JE foto da última
submitted by dandanyami to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.19 00:08 ItzHaruka Preconceitos estão me derrubando em um poço sem fim.

3x tentando postar... acho que agora foi..
Oi, pessoa que está lendo esse texto agora. Eu gostaria de desabafar sobre algo.. e se voce chegar até o final, adoraria um conselho, pode ser..?
Bem.. tenho 19 anos, sou um garoto transsexual (menina que se vê como menino) e nasci em uma família de Transfobicos religiosos. Desde o começo eu sofri preconceito, independente do que fosse. Eu comecei a namorar aos 12 anos mas desde os 10 eu ja ouvia a minha própria família sendo completamente homofobica comigo, sem eu nem mesmo saber se gostava de garotos ou garotas.. me julgavam, me chamavam de coisas horríveis e diziam que era apenas brincadeira..
Tudo só piorou quando descobri que era trans e gay.. comecei meu novo namoro aos 15 anos.. ele.. por incrível que pareça, estava passando pela mesma situação que eu.. eramos duas meninas que se enxergam como garotos e sofriamos com a homofobia de nossas famílias. Uma vez, na praia, eu resolvi contar pra alguém.. e isso terminou em um adulto de 29 anos (detalhe.. eu tinha 16) tentando me beijar.. eu tentei o parar e fiquei com medo.. me encolhi no canto do carro e não movi um músculo até ele me levar para casa.
Quando cortei meu cabelo.. como as pessoas dizem "joaozinho" recebi tantos insultos... e as pessoas começaram a falar cada vez mais de mim pelas costas... me xingavam... eu.. cheguei a descobrir que meu pai nem mesmo queria que eu tivesse nascido ao ponto de ter pedido um teste de DNA para confirmar se eu era seu filho... as palavras que ele usou me quebraram de tantas formas... "ela é o lado ruim da família, não é possível que seja minha filha" (mesmo eu me assumindo como transsexual.. continuaram a me chamar na forma feminina.. e olha... isso doia...)
Eu... comecei a ser tratado que nem escravo na casa de meus pais... limpando a casa toda sozinho... pra depois as pessoas julgarem dizendo que eu "não limpei direito"..
Eu sinceramente... não consigo mais aguentar... estou a beira do meu limite de cair nesse buraco obscuro que estão me puxando... não sou religioso o que é mais um ponto negativo pra eles.... eu sou um nada..
Não tenho importância alguma... "se acontecer só enterra", eu ouvi me dizerem isso tantas vezes... quando eu tive minhas tentativas de sumir desse mundo.... eu sou tão calado.. que mal tenho coragem de dizer algo... porque sei que irei acabar mal... eu pretendo sair dessa casa... mas até eu conseguir me ajustar... eu realmente não tenho lugar pra ir....
Essa pandemia está acabando comigo.... ter que ficar o dia todo ouvindo essas coisas... me trancar no meu quarto.... eu estou aqui desabafando porque eu sinceramente não aguento mais guardar isso só pra mim.. nao da.. sabe...? Uma hora você chega no seu limite......
Se voce leu até aqui.... eu agradeço..... sinto-me importante por um momento...
submitted by ItzHaruka to desabafos [link] [comments]


2020.08.17 05:18 DemonFranco Vivi por 20 anos preso em minha própria melancolia.

Olá, comunidade do Reddit! Esse é meu primeiro post aqui :) Meu intuito neste, especificamente, é conseguir pelo menos um pouco de calor humano (metaforicamente, claro) pois sinto que minhas feridas nunca foram cicatrizadas, desde a primeira delas.
Bom, pra começar minha história: minha infância foi marcada por conturbações no casamento de meus pais. A diferença de personalidade dos dois gerou brigas cada vez mais pesadas e incontroláveis. Chegaram ao ponto que já não existia mais companheirismo e meu pai começou a beber e trair minha mãe. Me recordo vividamente de cenas terríveis, como ele estar horas no banho a horas e quando entro pra ver se está bem, na verdade ainda estava de roupa e dormindo no chão molhado. Ou até momentos de alteração violenta onde, por medo, eu me trancava no quarto e ficava debaixo da coberta até o dia seguinte depois que ele saía pra trabalhar. Nunca fui violentado fisicamente (minha mãe, infelizmente, sim), mas acho que meu pai estava tão perdido dentro de si que esqueceu que tinha um filho, então eram raras as vezes que sequer trocávamos olhares ou palavras, e quando acontecia era frio e passageiro. Pra tornar tudo ainda mais tenso, nossa situação financeira nunca foi boa: vivíamos peregrinando entre aluguéis mais baratos, acumulando prestações não pagas e até mesmo alimento chegava a ser escasso. Minha válvula de escape eram meus avós, que moravam na mesma cidade e sempre me acolhiam com mimos. Meu avô, entretanto, morreu quando eu tinha 9 anos e isso foi um impacto enorme que passou despercebido: minha avó entrou em uma depressão que foi negligenciada até o ano passado (2019), quando finalmente tomou a atitude de visitar um psiquiatra e foi diagnosticada. As brigas entre meus pais cessaram, mas isso foi ainda pior pois os problemas que já existiam continuaram a crescer em silêncio. Eu não recebi diagnóstico algum, até porque sempre fugi dos psicólogos em que me jogavam, mas o efeito também foi claro em mim: emagreci quilos em semanas, já não tinha mais vontade de fazer a mais simples das tarefas como cortar cabelo ou sair na rua, me tornei cada dia mais introvertido. Alguns anos depois, meus pais enfim se separaram, mas antes me deram duas irmãs e um irmão (as únicas pessoas a quem posso dizer com sinceridade sentir amor incondicional). A esse ponto, eu me vidrava em videogames e mentia pra mim mesmo sobre a realidade que eu vivia e não queria aceitar.
Essa foi, digamos, a "primeira temporada" da minha história. A segunda foi marcada pela péssima e mal executada decisão de me declarar a uma garota por quem, desde moleque, fui apaixonado, mesmo sendo que não tínhamos nem amizade. Tudo o que eu tinha era um sentimento inexplicavelmente forte, e nenhum tipo de habilidade social pra sequer chegar nela com um simples papo agradável. Porém, ela aceitou meu pedido de namoro. E isso me destruiu, porque na verdade ela queria dizer não, só não disse por """"medo de me magoar"""" e revelou isso depois de 2 anos me iludindo com histórias do tipo "meus pais não me deixam namorar, tenho que focar na escola", etc. Enfim segui minha vida tentando, sem sucesso, superá-la. Felizmente, apesar de introvertido, dois de meus primos viraram meus amigos próximos e isso me ajudou a segurar todo aquele peso de sentimentos que eu não compreendia e mal sabia que tinha. Vivemos anos sendo os nerdolas da escola, sempre juntos e com mais ninguém, até que um desses primos se incomodou com esse estilo de vida (e com razão) e começou a fazer novas amizades; eu e meu outro primo resistimos a isso, o que o separou da gente. Continuamos sendo introvertidos até o penúltimo ano da escola, quando ele também se afastou de mim aos poucos sem razão aparente (hoje, depois de conversarmos, eu sei que era porque não tínhamos mais muito a ver como antes). Meu outro primo, agora extrovertido, se adequou à grande turma da escola facilmente e não demorou pra ficar popular - felizmente pra mim, isso não subiu à cabeça dele e continuamos ótimos amigos até hoje. Ainda nessa época, conheci na internet uma garota de São Paulo que, com uns bons meses de conversa, acabou desenvolvendo sentimentos por mim; eu, carente e introvertido, abracei isso com todas minhas forças e namoramos virtualmente, com vários vai e volta, durante 3 anos. Apesar de que eu me sentia melhor em ser desejado por alguém, essa garota também tinha sérios problemas com depressão e no final só puxamos o pior um do outro. Minha única conquista nessa época foi meu primeiro emprego, da onde tirei dinheiro para ir visitá-la.
E é aqui que eu considero ser a "terceira temporada". Viajei pra SP e passei quatro dias junto com a garota que por 3 anos desejei somente por fotos e vídeos. Mas quando voltei pra casa as coisas já não eram as mesmas: ela só me dava respostas evasivas e ríspidas, parecia até mesmo ter raiva de mim, sendo que, em minha visão, tínhamos conquistado outro nível em nosso relacionamento. Mas ela obviamente não pensava assim e terminou tudo com a seguinte frase: "Estou tirando as pessoas tóxicas da minha vida". Foi esse o estopim pra eu decidir ser extrovertido e começar a viver fora de meu quarto, e eu tive resultados rápidos: fiz novas amizades e até comecei um novo namoro, agora presencial com uma garota que realmente me admirava. Porém, fui perceber tardiamente que pouquíssimas dessas amizades me faziam bem - a mais danosa delas foi a de um feiticeiro três vezes mais problemático do que eu. Como sempre fui uma pessoa muito compreensiva e aberta, relevei seus defeitos gritantes e mantive a ''amizade'' pelo conhecimento esotérico que ele passava (por mais que grande parte deste conhecimento fossem delírios de grandeza de um feiticeiro egomaníaco). Depois de dois anos meu próprio corpo começou a recusar a presença desse sujeito, que insistia sempre em me acompanhar mesmo quando não era conveniente: comecei a ter constantes dores de cabeça quando estava em sua presença, meio que como um aviso do que já era óbvio: aquele cara não prestava. Aos poucos comecei a me aproximar mais da minha namorada e outros amigos como método de me afastar do sujeito, e curiosamente (ou não...), essas pessoas foram abruptamente saindo da minha vida, incluindo minha namorada (agora ex), que era a pessoa em quem eu mais confiava e me dedicava. Ainda inocente e o chamando de amigo, nunca imaginaria que ele poderia ter relação com tudo aquilo, mas não parou por aí: depois que a poeira abaixou e eu consegui superar toda aquela maré estranha de azar, ele ainda usou o nome de minha deusa pra me iludir e usar meu corpo (sendo essa deusa relacionada ao luxo e ao sexo, era um contexto perfeito pra ele). Eventualmente descobri que não fui sua primeira vítima, e toda a imagem de sacerdote sábio que ele outrora passou, do dia pra noite, virou nada mais que um charlatão desesperado. Essa foi a separação mais problemática de todas que eu já tive, pois enquanto eu me afastava cada vez mais, o ego ferido do sujeito nunca deixaria tal afronta passar em branco, e recebi cargas de energia pesada nos meses seguintes. 2019/2020 caprichou muito bem no quesito de desgraças, pois minha mãe, extremamente cabeça dura e ignorante, agora se recusa a trabalhar fichada mesmo sendo que tem três crianças pra sustentar, meu pai passa por cirurgias seríssimas pois contraiu câncer maligno no fígado e isso não deixou de atingir minha vó ainda viva, que tem problemas de coração e toma mais de 300 remédios por mês (palavras dela).
E agora aqui estou eu, solteiro, enganado pela maioria daqueles que chamei de amigos, com uma provável depressão mal resolvida e uma família abalada desde os primórdios de meu nascimento. Felizmente não tenho problemas com autoestima, o que já ajuda muito, mas ao mesmo tempo não tenho motivação em fazer nada que não seja sonhar com uma vida simples, leve e longe de tudo daqui. Hoje, especificamente, está sendo um dia difícil pois minha ficha caiu e tomei consciência da minha situação - chorei muito, escondido. Mas decidi fazer algo a respeito por mais simples que seja: criei uma conta na Twitch.tv pra criar conexões com outras pessoas enquanto jogo, e também este post como o maior desabafo que já fiz na vida. Na verdade, só de ter escrito tudo isso e lido logo após já estou melhor. Mas ainda me sinto sozinho e desamparado, não consigo buscar ajuda com meus familiares pois nunca fui de me abrir pra eles, nem ajuda profissional por falta de dinheiro, e depois de todas essas quebras de confiança fiquei extremamente seletivo a quem eu quero do meu lado, sobrando dois/três amigos com quem posso conversar (e mesmo assim somente meu primo que convive comigo desde criança sabe de toda minha história).
Quem estiver disposto a trocar experiencias e conversar, simplesmente por conversar, ficaria muito grato!
Gratidão a todos que, mesmo não enviando uma mensagem, leram até o final com atenção.
Blessed be. :)
submitted by DemonFranco to desabafos [link] [comments]


2020.08.15 08:04 therealilith Nice girl quase vai presa - com prints

Oii Lubisco, editores, gatas, possível convidado e turma que esta a ver.
Essa história ocorreu em 2016, na época eu estava namorando uma garota (sou lésbica) e estavamos quase completando 8 meses de namoro. Ela era o estereótipo de “nice person” e abusiva, os problemas iam desde coisas mais “”leves”” como ela me ignorar e me abandonar quando eu estava tendo crises de ansiedade/depressão na casa dela e tentar controlar a roupa que eu estava vestindo até me enforcar em um argumento.
Bem lixo né? Mas na época eu caia na baboseira de acreditar nela quando ela dizia que ela era o amor da minha vida e eu nunca encontraria alguém melhor.
Vamos para o que levou ao título dessa história: Um certo dia eu fui para a escola de vestido e uma coroa de flores, minha auto estima estava nas nuvens e todo mundo estava me elogiando. Quando as aulas acabaram ela foi me buscar na porta da escola e fomos almoçar em um restaurante ali perto, no meio da refeição ela me olha e diz “Já pode tirar isso, ta ridiculo.” e continuou comendo.
Eu fiquei em choque, terminei minha refeição e fui para casa. Pensei por um tempo até decidir que eu deveria terminar, eu não achava certo ela me tratar daquele jeito e não continuaria aceitando tudo assim.
Escrevi um texto super didático citando todos os motivos para o termino e enviei, estranhamente ela estava super calma. Ela aceitou o término e combinamos de ela me devolver meus pertences no dia seguinte.
Agora que a merda atinge o ventilador.
Fui tomar um banho super feliz e relaxada com tudo que aconteceu, mas quando sai percebi que haviam 10 ligações perdidas e 50 mensagens (algumas de texto e algumas de voz) da Carls (minha ex).
Ela estava surtando dizendo que eu era o amor da vida dela, que eu não deveria terminar, que ela era uma boa pessoa e apenas ela poderia me fazer feliz. Ela começou a perguntar o porque eu estar fazendo aquilo com ela e eu simplesmente copiei e colei o texto que eu havia mandado sobre os motivos do término e bloqueei ela no zipzop.
Enquanto eu apagava tudo relacionado a ela do meu CaraLivro ela me mandou uma mensagem no Instagram dizendo que ela ia se matar e a culpa era toda minha. Que eu era uma puta sem valor e que ela ia me assombrar pelo resto da minha vida.
Ela me explicou que tinha tomado todo o remédio de bronquite dela (um super forte que quando ela tomava um pouco ja ficava tremendo e com taquicardia) e que eu não poderia fazer nada além de me arrepender por ter terminado com alguém tão bom quanto ela.
Na hora eu travei, mas não demorou muito para meu cérebro começar a raciocinar: Ate eu me arrumar, sair de casa e ir até a estação de trem mais próxima demoraria pelo menos 30 minutos (10 para eu me arrumar + 20 até a estação), depois que eu pegasse o trem (+15 minutos) eu teria que andar até a casa dela (+30 minutos). Nisso eu ja teria perdido uma hora e quinze minutos e ela teria morrido.
Como eu estava sem dinheiro para o taxi e minha única opção demoraria mais de uma hora só me restava uma saída: Ligar para a polícia.
Liguei para a policia e expliquei que uma “amiga” minha estava tentando suicidio, passei o endereço dela, quantas pessoas estavam na casa dela no momento e outras informações necessárias. A moça do outro lado da linha agradeceu e me disse que duas viaturas estavam a caminho da casa dela e que chegariam em menos de 15 minutos.
Enquanto isso ela continuava bombardeando meu Instagram com mensagens sobre como eu me arrependeria daquilo e blábláblá.
Quando a ligação acabou ocorreu a seguinte conversa: Eu: Você está em casa né? Ela: Sim, porque? Você vai vir?? Eu sabia que você ia se arrepender!! Eu te amo!! Eu: Não não, eu não estou indo ai. Ela: Então porque perguntou?? Eu: Como você disse que ia se matar e eu não conseguiria chegar a tempo para te ajudar eu liguei para a policia e eles enviaram duas viaturas para sua casa, logo logo elas devem chegar Ela: QUE??????? PORQUE VOCÊ TEVE QUE LIGAR PRA POLICA??? VOCE TA LOCA SUA PUTA???? EU NÃO IA ME MATAR DE VERDADE Eu: Explica isso para eles :)
No final das contas, duas viaturas chegaram na casa dela, o pai deixou os policiais entrarem e ela brigou com eles, fez um barraco tão grande que quase foi presa e ainda levou um sermão (dos policiais e do pai) por fazer os caras perderem tempo indo até la.
Eu consegui meus pertences de volta, ela tentou conversar comigo algumas vezes depois disso ou me xingando ou pedindo para voltar e eu ainda fiquei com a melhor amiga dela.
Os prints:
https://imgur.com/gallery/fq2z8ZH
É isso Lubisco, moral da história: Se alguém, principalmente uma nice person, falar que vai se matar você liga pra policia
Beijo <3
submitted by therealilith to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.14 01:09 tali720 Como conseguir grana?

Bom, eu trabalho atualmente. Sou temporária pra Adm pública (contrato até fim do ano que vem) e ganho na faixa de 2300.
Moro na casa de minha mãe, que é muito raivosa, e com uma irmã com problemas mentais e tendências agressivas. Além disso, tenho uma filha então tenho necessidade de sair daqui urgente pois isso tem feito mal a ela
Quando não tô trabalhando, cuidando da casa ou de minha filha, tô 100% do tempo estudando. Eu não saio mais de casa, mal vejo meu namorado, pois quero mto passar em um concurso que pague bem e que me permita sair daqui.
Mas será que tem a possibilidade de algum site ou algo assim que ofereça dinheiro em troca de serviços? Sou da área administrativa, mas sei programação tbm.. eu posso ver se reduzo minhas horas de sono pra que eu possa fazer essa atividade
Odeio cozinhar então não quero vender bolo ou similar.. alguém tem alguma sugestão?
Obs: com o que eu ganho não dá pra eu sair daqui pois tenho gastos altos com minha filha tipo escola etc então sobra pouco. Além disso tem a possibilidade de fim do ano que vem eu tar desempregada por isso tô juntando o que sobra.
Obs 2: eu ajudo bastante financeiramente na casa tbm por isso sobra menos ainda
Obs 3: eu namoro só tem poucos meses então n posso pensar em morar junto por agora
submitted by tali720 to desabafos [link] [comments]


2020.08.12 23:57 FoffieBunny Minha primeira vez foi em um menage e isso me atormenta

Ola amiguinhos, venho trazer um desabafo de algo que aconteceu na minha vida que muitas vezes me atormenta.

Sou mulher, tinha 16 anos e naquela época já me considerava bissexual, porem nunca tinha feito nada alem de trocar uns beijinhos.
Conheci uma garota, 2 anos mais velha do que eu, que fazia cursinho na mesma escola onde cursava meu ensino médio, ela era bem extrovertida e tinha um estilo alternativo que me chamou a atenção logo de cara. Eu sou bem tímida, mas acabamos ficando amigas e ela sempre ficava dando umas indiretinhas, ate que a gente ficou um dia e ela insistiu de assumirmos um namoro, eu me senti rendida e não soube dizer não, por mais que tivesse sido legal o momento e gostava bastante dela, não era esse tipo de relacionamento que gostaria, mas acabei aceitando com medo de perder a amizade. Ficamos nesse "namorinho" escondido por uns dois meses e a cada dia eu ficava mais desinteressada. Inclusive era evidente pra ela que eu já não tava mais curtindo

Minha ex namorada tinha um amigo que também era do cursinho, ele era praticamente o oposto dela, um pouco introvertido e não era louco da cabeça. Eu gostava muito da companhia dele e o principal motivo da gente sair, na maioria das vezes, é porque sabia que ele estaria também. Não preciso dizer que eu acabei gostando dele e fiquei deixando minha amiga/namorada de lado, o que acabou deixando ela furiosa e terminando nossa relação.

No outro dia já estava marcando com o garoto de sair só nos dois, o que pra minha surpresa, ele aceitou. Saímos e ficamos, por quase duas semanas, eu estava louca pra namorar, estava tão apaixonada que so compartilhava casalzinho no meu tumblr.

Minha ex descobriu que estávamos saindo e foi tirar satisfação comigo, na hora pensei que iria falar poucas e boas, já que os dois eram tipo melhores amigos, mas ela disse que sabia desde o começo que eu gostava dele e que isso não era problema, que poderíamos continuar ficando e ter o nosso namoro. Como já havia dito, eu não tinha muito coragem pra tomar decisão e ela era uma amizade que realmente importava muito pra mim, então acabei aceitando novamente.

Um belo dia, quando nos 3 resolvemos matar as aulas da tarde, fomos pra casa da minha ex porque os pais dela não estavam lá esse horário. Ficamos conversando e vendo filme, ate que os dois pegam uns trocadinhos e vão no supermercado comprar uma garrafa de catuaba, eu apoiei a ideia, já tinha tomado vinho e gostei. Começamos a beber e ficar mais soltinhos, eu e minha ex começamos a nos pegar de um jeito mais envolvente e mesmo sabendo que o garoto estava ali eu estava super a vontade. Não demorou muito pra ele vim me beijar também e como nesse momento eu e minha ex ja estávamos quase peladas, fiquei sem um pouco sem reação porque era minha primeira vez. Mas pra minha surpresa, no meio dessa pegação, minha ex começou a beijar ele e fazer as preliminares. Ela era mais experiente, então nesse momento fiquei de lado vendo os dois, pensei que iria sentir ciumes mas eu realmente gostava dos dois e toda essa situação tinha me deixado com muito tesão, talvez fosse a catuaba kkk

Eles viram que eu tinha ficava meio parada e perguntaram se tava tudo bem, disse que ainda era virgem e eles ficaram me dando toda atenção. Enfim, acabou acontecendo e pra minha primeira vez achei uma boa experiencia comparada com outras historias que já ouvi de algumas amigas. Mas sempre que eu conto a circunstancia que perdi minha virgindade todos ficam horrorizados, ja inclusive tive um termino de relacionamento quando meu ex descobriu isso. Ainda exigiu que so não iriamos terminar se fizesse um menage com ele tambem.

Foi minha unica experiencia com menage e foi algo natural, mas todos que escutam (não so por mim) tem uma visão de como se eu fosse uma vagabunda.
submitted by FoffieBunny to sexualidade [link] [comments]


2020.08.07 12:35 my-persona Meu plot twist de ontem e coração partido

Sou mulher, 23 anos e vou ser bem direta: Há 3 semanas terminei um namoro e há 2 comecei a gostar de uma menina do meu local de trabalho que aqui vou chamar de Luisa para fins de praticidade. Ela é MT gata, mas tem um jeito todo rebelde. Tipo daqueles jovens de twitter super problematizadores.
Nesta segunda-feira a gente ficou e continuamos ficando até ontem. Eu estava super apaixonadinha. Rolaram MTS carinhos, MT olho no olho.
Ontem, uma amiga minha (que vou chamar de Júlia) ficou brava cmg do nada, falando que todo mundo ia se ferrar se descobrissem que eu estava tendo um relacionamento com a Luísa. Júlia já sabia que eu estava ficando com a Luisa desde segunda.
Esta minha amiga Júlia teve um relacionamento de 5 anos com um cara e agr tá em outro com um outro cara há 2 anos.
Falei pra Luisa que minha amiga Júlia estava brava cmg e Luisa perdeu a cabeça, começou a falar de homofobia, etc etc. Tentei acalmar, falar que essa minha amiga já ficou brava sem motivo nenhum antes e dps ela volta a agir normalmente, de uma hora pra outra.
Luisa foi tirar satisfação com Julia e rolou treta. Uma falando pra outra se enxergar.
Dps disso Luisa me chama numa sala e me manda sentar numa cadeira. Começa a falar sobre como a minha amiga é manipuladora e que eu não sei o real motivo de ela estar tão brava cmg. Meu coração já parou aí.
Luisa falou que era por ciúmes. Beleza, aí eu pensei "Nossa, mas minha amiga deveria saber que eu nunca vou abandonar meus amigos por causa de um relacionamento". Mas o que eu ouvi depois foi a Luísa falando: "A Julia está com ciúmes pq eu fico com ela há 3 semanas. E fiquei com ela terça-feira na escada". Perdi o chão na hora.
Acordei apaixonadinha, fiquei abraçadinha, olhando olho no olho, falando coisas bonitinhas. Dps fiquei triste pq minhas amigas estavam bravas cmg e mais tarde descobri que a única amiga minha que namora (e namora um homem) estava ficando com a menina que eu tava gostando e não podia me falar nada pq ela não tava pronta pra sair do armário.
Às vezes me vem um sentimento de "tem algo de errado cmg pra msm dps de ficar cmg ela ter continuado com a minha amiga" ou "foi pq nosso beijo não encaixava", mas aí paro pra pensar na situação dessa minha amiga que foi jogada pra fora do armário e vejo que nessa história eu fui só coadjuvante. Meu coração ainda tá meio doendo, nunca tinha sentido isso. Mas sei que passa e tenho a responsabilidade de arcar com meus próprios sentimentos e devo amadurecer nas escolhas que faço, com quem e para quem eu quero me entregar.
Mas que ainda tem uma dorzinha no coração, tem.
Edit: podem dar conselhos para eu conseguir digerir melhor essa situação tá, galerinha? :')
submitted by my-persona to desabafos [link] [comments]


2020.08.06 22:03 ElFalconesy Abri meu relacionamento e não sei o que fazer

Eu e meu marido decidimos abrir e, literalmente, não sei o que fazer com essa abertura.
Um breve histórico: antes desse meu relacionamento atual, tive um namoro longo, de três anos. Nesse relacionamento passado era impossível imaginar abrir, era um relacionamento abusivo de ambas as partes, rolava muito ciúme mútuo e a gente se proibia até de beber na ausência um do outro. Depois que terminei e refleti muito sobre essa possessividade toda, comecei a desejar a experiência de um relacionamento aberto, sem nem ter a certeza se eu seria capaz de lidar com essa forma de desapego.
Masss aí eu conheci meu marido, nos apaixonamos, e ele deixou bem claro que não gostaria de ter um relacionamento aberto. Ele já havia tido um namoro anterior fechado, de um ano. Eu estava apaixonado, ele também, topamos um relacionamento fechado e isso nunca foi um problema. Namoramos por seis meses quase praticamente morando juntos, depois por mais dois anos e meio a distância (eu em SP, ele no RS), continuamos com relacionamento fechado, eu nunca traí nem nunca senti vontade e tenho plena confiança de que ele também não me traiu. Ele se mudou pra SP, namoramos por mais um ano, totalizando 4 anos de namoro, e nos casamos, tudo isso ainda em relacionamento fechado.
Pois bem, pouco mais de um ano de casamento feliz e saudável, a conversa de abrir o relacionamento ressurge das cinzas e para a minha surpresa ele muito tranquilamente fala que abriria, bem como toparia fazer sexo a 3. Tivemos uma longa conversa de umas 3 horas, bastante honesta, e ele basicamente disse tudo que acredito: nenhum ser humano pertence a outro, que ele separa bem prazer sexual e relação afetiva, que ele é muito seguro do amor que sentimos um pelo outro e da nossa vontade de seguir construindo uma vida a dois, e que pra ele seria ok fazermos sexo com outras pessoas. Nessa hora baixamos juntos o Grindr no celular dele, demos uma olhada e foi isso. A única questão que não ficou bem resolvida é que ambos ficamos apreensivos de colocar foto em app de pegação porque o nosso status de relacionamento aberto ainda está no armário. Nenhum de nós ficou muito a vontade de pensar que algum conhecido nosso poderia nos ver no app e interpretar errado. Isso poderia gerar uma situação toda que teríamos que explicar pros nossos amigos e... preguiça.
Passou um mês e eu não fiz nada com esse novo status de relacionamento, tanto pela falta de perspectiva de sair com alguém devido a pandemia quanto por não ter tido vontade, mesmo. Mas aí ontem, por curiosidade, baixei o Grindr, deixei um perfil vazio e comecei a dar uma olhada. E percebi que não sei o que fazer com o app. Não queria colocar foto pelo que já expliquei acima, mas quem vai querer falar com um perfil vazio? Eu sinto que nem sei mais usar esse tipo de aplicativo, usei pela última vez há mais de cinco anos... essa função tap, por exemplo, existe algum código de conduta com relação à ela? Me deram tap, se eu der tap de volta o que significa? Me senti muito velho tentando usar (mas tenho 26 anos).
Acima de tudo, me sinto deslocado no app porque eu acho que meu propósito ali é bem diferente do da maioria, que é solteiro, e busca homens de boa aparência e etc... eu realmente só faria sexo com alguém do aplicativo pra ser uma experiência diferente e gostosa, não quero ficar preocupado com rejeição, não queria ficar encanado com meu corpo, não to desesperado pra transar com qualquer pessoa, também...
Enfim, depois desse textão o que eu queria saber é: alguém aqui já passou por algo semelhante? Será que o que eu procuro não está nesse tipo de app? Como vocês lidaram com essa questão de amigos e parentes do casal descobrirem que o relacionamento abriu? Adoraria ler histórias de abertura de relacionamento pra saber como foi!
Obs: meu casamento não está em crise, nos amamos muito e o sexo é ótimo. Sou muito seguro de que temos um futuro juntos bastante bonito pela frente. Decidimos abrir e contar tudo um pro outro, não queremos aquele tipo de abertura que abre, mas não conta, porque não queremos ter que mentir pra sair com outras pessoas.
submitted by ElFalconesy to arco_iris [link] [comments]


Pedir em namoro: Qual a hora certa? - YouTube MEU NAMORADO SÓ QUER SAIR COM OS AMIGOS  #CarolResponde QUER NAMORAR COMIGO?! ( pedido de namoro junior manella e ... noiva pede namorado em casamento e ele diz não COMO TERMINAR UM NAMORO? COMO SAIR DE UM RELACIONAMENTO QUE TE FAZ MAL? O Sapo Não Lava o Pé + 1 Hora de musica infantil com Os ... 10 dicas para saber se é hora de terminar o namoro É HORA DE SAIR DE CASA - Thainá Alves Maria Cecília e Rodolfo - Namoro Démodé - YouTube ELA ME DEU UMA SURPRESA PRA COMEMORAR 5 ANOS DE NAMORO ...

mDates — Namoro para mulheres experientes com mais de 35 anos

  1. Pedir em namoro: Qual a hora certa? - YouTube
  2. MEU NAMORADO SÓ QUER SAIR COM OS AMIGOS #CarolResponde
  3. QUER NAMORAR COMIGO?! ( pedido de namoro junior manella e ...
  4. noiva pede namorado em casamento e ele diz não
  5. COMO TERMINAR UM NAMORO? COMO SAIR DE UM RELACIONAMENTO QUE TE FAZ MAL?
  6. O Sapo Não Lava o Pé + 1 Hora de musica infantil com Os ...
  7. 10 dicas para saber se é hora de terminar o namoro
  8. É HORA DE SAIR DE CASA - Thainá Alves
  9. Maria Cecília e Rodolfo - Namoro Démodé - YouTube
  10. ELA ME DEU UMA SURPRESA PRA COMEMORAR 5 ANOS DE NAMORO ...

Namorar é muito bom, mas nem todo namoro faz bem. Como saber se esse relacionamento deve continuar ou se é hora de dar um fim? Aqui damos 10 dicas bem claras para ajudar nesse discernimento. Fiz uma surpresa e algo inesperado aconteceu😥 Era pra ser um dia feliz Mãe de três - Duration: 13:40. Chayane Miranda / Mãe de três 1,310,666 views 13:40 Qual é a hora certa de pedir uma garota em namoro? O Eddie e o Leo respondem um leitos que está na dúvida de como pedir em namoro sua ficante. Será que exist... noiva de Santo Andre pede namorado em casamento e ele diz não video outdoor. ... Pedindo minha melhor amiga em namoro na sala de aula, OLHA NO OQUE DEU!!! - Duration: 6:18. A faixa 'Namoro Démodé' pertence ao EP 'À Vontade' de Maria Cecilia e Rodolfo. Ouça e baixe 'Namoro Démodé' em todas as plataformas digitais: https://onerpm.... Psicóloga orienta a como sair de um relacionamento infeliz - Duration: ... 10 dicas para saber se é hora de terminar o namoro - Duration: 14:03. Déia e Tiba 438,619 views. Galera finalmente chegou o dia que vocês mais esperaram!! O dia do pedido de namoro!! CANAL DA RAFFA - https://www.youtube.com/channel/UCGHTG5VYAUkX8FpDZDmax... Nesse vídeo vou ajudar vocês com uma pergunta de uma leitora: 'Carol, meu namorado só quer saber dos amigos dele, o que fazer?' Vou te ajudar a se livrar desse problema! haha. Aperta o play ... ---- Acompanha-nos http://www.os-amiguinhos.com/ https://twitter.com/OsAmiguinhosTV ---- Clique aqui para subescrever. https://www.youtube.com/channel/UCXyGb... CLICA AQUI PRA SE INSCREVER 😂 → https://goo.gl/6RrS7C → INSTAGRAM: http://instagram.com/lucas_lira → TWITTER: http://www.twitter.com/lucas_lira → FACEBOOK:...